Prefeitura de Macať prossegue na luta da Pessoa com DeficiÍncia

Publicado em 24/09/2014 Editoria: Geral

Prossegue nesta quarta-feira (24), no Hospital Público de Macaé (HPM) a Semana de Sensibilização Comemorativa da Luta das Pessoas com Deficiência, destinado a funcionários e pacientes. O trabalho, executado pela subsecretaria de Acessibilidade e Proteção à Pessoa com Deficiência, da secretaria de Desenvolvimento Social objetiva a inclusão social. O tema deste ano é “Acessar sim, limitar não!”.

A sensibilização, que irá acontecer até o próximo dia 1º de outubro visando atingir o maior número possível de pessoas, já esteve com o grupo de usuários do Programa de Apoio Especializado à Família (Paefi), no Centro de Referência Especializada de Assistência Social (Creas); com colaboradores e servidores da Escola Municipal de Artes Maria José Guedes (Emart) e com o público e funcionários da secretaria de Trabalho e Renda (Semtre). Estão sendo abordados temas relacionados, tais como: os tipos de deficiência, classificação, como tratar as pessoas com deficiência, direitos e políticas públicas.

De acordo com a subsecretária de Acessibilidade Camila Butinholli, a ideia é quebrar as barreiras de atitudes físicas.

- Comemorando o Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência (21 de setembro), iniciamos um trabalho de sensibilização para alertar a sociedade sobre as necessidades de criarmos ambientes de circulação e de vida mais acessíveis e mais inclusivos. Precisamos aprender a lidar com as diferenças, pois apesar de quaisquer limitações físicas ou psíquicas, existe um sujeito, uma pessoa – assegurou Butinholli.

Senso – A mostra do senso do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010 revela que em Macaé mais de 53 mil pessoas declararam alguma deficiência e destaca que o conceito de deficiência é demonstrado em grau de dificuldade de maneira muito ampla. O grupo que apresenta alguma dificuldade é composto de 40 mil, mas contempla pessoas que possuem pequenas deficiências. Quanto ao grupo com deficiência (não conseguem de modo algum) são os seguintes: visual (537), auditiva (306), motora (1.674). Já o número de deficientes mental intelectual (altistas, sequelas de traumatismo ou do parto, com problemas congênitos...) somam cerca de dois mil.

Viver sem limites – A Prefeitura de Macaé já fez adesão ao Plano Nacional Viver sem Limites, ressaltando o acordo com a Convenção dos direitos da pessoa com deficiência. “É nosso compromisso fazer com que a convenção aconteça na vida das pessoas, por meio da articulação de políticas de acesso à educação, inclusão social, atenção à saúde e acessibilidade”, pontuou a secretária de Desenvolvimento Social, Andrea Meirelles.
 

› FONTE: Macať News (www.macaenews.com.br)