Orquestra Kuarup leva Dorival Caymmi ao Jazz & Blues Festival 2014

Publicado em 20/06/2014 Editoria: Cultura
Para a apresentação desse ano os integrantes da orquestra estão se empenhando desde o início do semestre

Para a apresentação desse ano os integrantes da orquestra estão se empenhando desde o início do semestre

Abrindo o Jazz & Blues Festival desde sua se­gunda edição em 2003, a Orquestra Kuarup é uma das mais tradicionais e importantes manifesta­ções no cenário musical de Rio das Ostras. Contando com alunos e professores da Fundação de Cultura, assim como músicos convidados, a orquestra de cordas e sopros explora versões instrumen­tais de clássicos do reper­tório nacional englobando Tom Jobim, Edu Lobo, João Donato, Gilberto Gil, Do­minguinhos, Hermeto Pas­coal dentre tantos outros.

Entretanto, para a apre­sentação desse ano os inte­grantes da orquestra estão se empenhando desde o início do semestre para pre­parar um repertório especial em homenagem ao cente­nário do compositor baiano Dorival Caymmi, que teve uma ligação muito forte com a cidade entre a década de 70 e final da década de 90, quando vinha para sua casa de praia para pintar telas e compor novas canções.

Sem deixar de lado clás­sicos da bossa nova como ‘Samba do Avião’, ‘Águas de Março’, ‘Garota de Ipa­nema’ e ‘ Chovendo na Ro­seira’, do mestre Tom Jo­bim, ou uma interpretação da canção ‘Baía (Na Baixa do Sapateiro)’ de Ary Bar­roso, sucessos de Caymmi tais como ‘Maracangalha’ e ‘Milagres’, que foi compos­ta em Rio das Ostras, estão dentro do repertório desse ano. Para fechar a atração, a Cia de Dança Baía Formosa apresentará a coreografia ‘ Caymmi Dança’ tendo como tema musical as canções ‘É doce morrer no Mar’, ‘Reti­rantes’ e ‘Vatapá’.

Segundo o maestro Nando Carneiro, que está à frente da orquestra desde 2003, o Jazz & Blues Festi­val cresceu enormemente ao longo das edições e hoje é considerado um dos fes­tivais mais importantes da América Latina, portan­to passou a ser também o ápice da temporada anual da orquestra. Além da de­dicação para a apresenta­ção desse ano, Nando está buscando melhorias para a orquestra, de modo a es­tabelecê-la cada vez mais: “meu objetivo principal este ano, é conseguir inserir a Orquestra Kuarup, através da Lei Rouanet, nos editais e licitações estaduais e fede­rais para transformá-la na primeira orquestra estável do município de Rio das Os­tras, contando sempre com o apoio fundamental da Fundação Rio das Ostras de Cultura” afirma.

“Tocar todos os anos nesse festival além de um prestígio para a orquestra, é um toque especial de mú­sica de alta qualidade bra­sileira em um festival com grandes nomes interna­cionais, o que proporciona um mix cultural muito inte­ressante” ressalta o músico Jean Mello, integrante há três anos da Kuarup.

UM POUCO MAIS SOBRE A KUARUP

Sendo uma das primeiras manifestações artísticas da cidade, a orquestra começou com ensaios em praças pú­blicas e através de doações de instrumentos. Em segui­da, passou a fazer parte da Fundação Rio das Ostras de Cultura, e pôde contar com uma maior estrutura incluin­do instrumentos novos, re­gentes qualificados e ensino teórico de música.

Atualmente, com CD e DVD gravados, a orquestra Kuarup coleciona atuações e participações de suces­so, tendo se apresentado na Sala Cecília Meireles, no Rio de Janeiro, acompa­nhou grandes nomes como David Ganc, Paulo Moura e Martinho da Vila. Em 2004, esteve na Alemanha em um intercâmbio cultural com a escola de música Musikchule Tübingen.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)