Hoje é o último dia de inscrição no Parlamento Jovem Brasileiro 2020

Publicado em 30/06/2020 Editoria: Geral

Termina hoje o prazo de inscrição para o Parlamento Jovem Brasileiro deste ano, programa da Câmara dos Deputados voltado à “educação para democracia”. A iniciativa está na 17ª edição e oferece a estudantes do ensino médio de todo o País a oportunidade de simular o dia a dia de trabalho dos deputados federais.

O calendário deste ano sofreu alterações por causa da pandemia do novo coronavírus. Foram três meses de inscrição, que começaram em 30 de março. Os interessados em participar do Parlamento Jovem Brasileiro 2020 ainda podem se inscrever nesta terça: basta elaborar um projeto de lei e enviá-lo, juntamente com uma cópia do documento de identidade, por meio do portal camara.leg.br ou pelo whatsapp exclusivo – (61) 3216-1867 – para quem não tem acesso à banda larga.

O programa é aberto a jovens de 16 a 22 anos de idade devidamente matriculados no ensino médio de escolas públicas ou particulares. Quem cursa o ensino técnico integrado ao ensino médio ou está cursando o ensino médio no EJA, a modalidade “educação de jovens e adultos”, também pode participar.

Ao longo de julho, será feita a pré-seleção estadual. Agosto e setembro serão reservados para a seleção final, enquanto outubro e novembro serão meses de preparação à distância dos selecionados. Os estudantes selecionados são empossados como deputados jovens e simulam todo o processo legislativo, elaborando projetos de lei e debatendo temas de grande importância para o País.

Várias propostas surgidas no Parlamento Jovem Brasileiro já foram formalmente aproveitadas como projeto de lei pelos deputados federais. É o caso da deputada Tabata Amaral (PDT-SP), que encampou uma proposta da jovem estudante Raphaele Godinho apresentada no Parlamento Jovem de 2017.

“Recebi com muito carinho o projeto que a Raphaele Godinho me entregou para que a gente pudesse criar uma semana de valorização das mulheres que fizeram história. Conforme combinamos, eu apresentei o projeto junto com outros projetos de minha autoria para que a gente fizesse uma discussão ampla de projetos que pudessem dar mais dignidade, igualdade e respeito para as mulheres”.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

 

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)