Parque do Barreto comemora três anos e duplica o número de visitantes

Publicado em 28/11/2019 Editoria: Meio Ambiente
O espaço fica na Rodovia Amaral Peixoto, São José do Barreto, próximo ao Atacadão.

O espaço fica na Rodovia Amaral Peixoto, São José do Barreto, próximo ao Atacadão.

Cada vez mais, a população macaense aproveitar o Parque Urbano Municipal da Restinga do Barreto, que completou três anos nessa quinta-feira (28) e é considerado o maior do mundo, em área exclusiva de restinga. A programação de aniversário contou com trilhas, música, dança de rua, poesias e museu interativo. Somente esse ano, cerca de cinco mil pessoas passaram pelo Parque, que oferece além da conexão com a natureza, pesquisas científicas e desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, bem como de recreação em contato com o meio ambiente e de turismo ecológico.

"Eu não sabia que existia o Parque. Estou me sentindo tão bem em caminhar por aqui. Eu sou apaixonada pela natureza e confesso que vou trazer minha família para desfrutar desse pedacinho de Macaé, que antes eu desconhecia. É uma área muito incrível e tão pertinho da gente, é inadmissível não se encantar com as borboletas, as plantas, o verde, o ar", disse a guarda sênior, Elza Dias Tavares (66).

A analista ambiental do Parque, Érica Steagall, destacou que em pesquisa que está sendo realizada pelo Instituto de Biodiversidade e Sustentabilidade, da UFRJ, já foram descobertas a presença de cerca de 20 espécies de abelhas e 30 de borboletas no Parque.

"Voando de flor em flor para obter néctar, do qual se alimenta, a borboleta garante a polinização das plantas, que é o processo que garante a produção de frutos e sementes e a reprodução de diversas plantas, sendo um dos principais mecanismos de manutenção e promoção da biodiversidade na terra", ressaltou Érica.

De acordo com o coordenador do Parque do Barreto, o biólogo Henrique Abrahão Charles, cerca de 700 pessoas compareceram na festividade, como a guarda sênior de Macaé, Guarda ambiental de Macaé e de Carapebus, Defesa Ciivil de São Gonçalo, alunos de escolas municipais, o Secretário de Educação, Guto Garcia, representantes do legislativo e população em geral. Segundo Henrique, o marco do festividade foi a ampliação da parceria com o Instituto de Biodiversidade e Sustentabilidade, da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, Secretaria de Educação e com a Guarda Sênior.

"O Parque recebia, em média, duas mil pessoas por ano. Esse ano estamos chegando a cinco mil visitantes. A parceria com as demais secretarias do município é fundamental para fortalecer a promoção da saúde mental da população. Muitos idosos da guarda sênior, por exemplo, não conheciam o Parque. Outros, moram em apartamentos, sem varandas. Por ser localizado na área urbana do município, o acesso se torna fácil, podendo chegar até de bicicleta e o contato com a natureza é essencial para vida", destacou Henrique.

As escolas municipais são as mais assíduas, porém, o Secretário de Educação, Guto Garcia, destacou que a partir do próximo ano letivo cerca de duas turmas irão contemplar o Parque semanalmente. Já a Guarda Sênior vai realizar a "Manhã Saudável" no Parque toda última quinta-feira de cada mês.

O Parque

O Parque tem como objetivo preservar o ecossistema natural remanescente da restinga da praia; preservar e recuperar a cobertura vegetal nativa, visando à restauração da diversidade do ecossistema natural; garantir a preservação de espécies endêmicas, raras ou ameaçadas de extinção da fauna e flora; regular o uso admissível da área; possibilitar visitação pública, pesquisas científicas e desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, bem como de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico.
O Parque conta com viveiros de plantas e aves, trilhas, mesas de piquenique, brinquedos infantis, quadra de areia e Centro Administrativo com banheiros.

A restinga do Barreto é um ecossistema costeiro caracterizado por um terreno arenoso, criado pela sedimentação de rios e depósitos marítimos ao longo dos milhares de anos, com forte influência do vento, do sal, do sol e das mudanças das marés. A área possui vegetação típica, com plantas muito resistentes às variações de temperatura e aridez do solo (como os cactos, bromélias e pitangas). Esta vegetação, capaz de preservar as dunas, é fundamental para conter o avanço do mar e preservar a exuberante fauna local.

O Parque é aberto à população todos os dias da semana, de 9h às 16h. As visitas guiadas, que incluem palestras, trilhas, além da prática de esportes em um campo de areia devem ser agendadas pelo e-mail parquebarreto.sema@gmail.com.

› FONTE: Secom Macaé