Flamengo vence GrÍmio com Maracan„ lotado e em bela noite de Arrascaeta

Publicado em 11/08/2019 Editoria: Esporte

A vitória do Flamengo sobre o Grêmio, por 3 a 1, no Maracanã, mostrou a importância de jogadores que fazem a diferença. Ainda que o time não esteja completamente entrosado, há quem desequilibre. Um deles é Arrascaeta, que deu o passe para o primeiro gol - de Willian Arão -, e marcou o segundo. Everton Ribeiro, nos acréscimos, marcou o terceiro; Rafael Galhardo, de pênalti, fez o dos gaúchos.

Jorge Jesus optou por escalar Berrío no lugar de Everton Ribeiro, provavelmente uma preocupação para não forçar demais o camisa 7. A parte ofensiva do Flamengo esteve bem entrosada, apesar dos desfalques de Diego, Vitinho e Gabigol. Gerson dominou o meio de campo.

O jogo começou movimentado, e isso significa que o Flamengo atacou, mas também deu espaços. O time de Renato Gaúcho abusou dos contra-ataques pelas laterais. Numa dessas, rubro-negro Rafinha fez falta em Luan e tomou cartão amarelo - ele está fora do clássico contra o Vasco, semana que vem. Mas, num time de qualidade, um simples toque faz a diferença. Aos 28, Arrascaeta deu passe magistral para Willian Arão, que não teve muito trabalho a não ser chutar de primeira para o gol gremista. O camisa 5 completou 200 jogos com a camisa rubro-negra.

Melhor na partida, o Flamengo tinha tudo para levar a vitória parcial para o vestiário, mas Pablo Marí puxou a camisa de David Braz dentro da área, durante cobrança de falta, no último lance antes do intervalo. O VAR foi consultado e o árbitro Bráulio da Silva Machado optou por marcar o pênalti. Na cobrança, a &39;Lei do Ex&39;: Rafael Galhardo bateu no canto oposto ao de Diego Alves. Minutos antes, o Rubro-Negro reclamou de um pisão do próprio Galhardo em Bruno Henrique, dentro da área. O juiz deixou seguir.

O Flamengo logo voltou à frente do placar, ainda que sem querer. Aos quatro minutos, Bruno Henrique entrou na área pela diagonal e deu um chute imprevisível. A bola bateu no travessão e foi parar nos pés de Arrascaeta, que empurrou, meio sem jeito, para o gol. O Rubro-Negro não &39;sentou&39; no resultado. Aos 12, Gerson balançou e soltou uma pancada para o gol de Júlio César. A bola beijou e travessão e foi para fora.

Arrascaeta esteve em noite brilhante. Em outra belíssima jogada, aos 31, deu um passe de calcanhar para Bruno Henrique, que driblou com velocidade e chegou à linha de fundo. Ele tocou para trás, Everton Ribeiro fez o corta-lua e o próprio Arrascaeta bateu para grande defesa de Júlio César.
Com o Grêmio cansado, ainda deu tempo de, nos acréscimos, Everton Ribeiro limpar a marcação adversária e chutar de fora da área, no canto direito de Júlio César.

› FONTE: O Dia