Requerimentos no portal da Câmara registrarão respostas da prefeitura

Publicado em 21/05/2019 Editoria: Geral
Em breve, os requerimentos publicados terão o registro de resposta, ou não, do Executivo

Em breve, os requerimentos publicados terão o registro de resposta, ou não, do Executivo

Durante debate sobre duas proposições de Julinho do Aeroporto (MDB) aprovadas na sessão, o presidente Eduardo Cardoso (PPS) informou mudanças que deverão ocorrer na publicação de requerimentos enviados à prefeitura e publicados no site do Legislativo. Julinho pedia ao Executivo informações sobre a possibilidade de reforma na Praça da Ampra, localizada no Parque do Aeroporto e de implantação de mão única nas ruas Medeiros e Aurélio Cristiano da Silva, na Nova Holanda.

Após comentários de Maxwell Vaz (SD) e Marvel Maillet (Rede) enfatizando a necessidade dessas medidas, Julinho enumerou uma série de outras que solicitou, sendo que algumas foram atendidas e outras ficaram sem resposta. Foi quando Eduardo anunciou a novidade. “Em breve, os requerimentos publicados terão o registro de resposta, ou não, do Executivo. Acredito que será um avanço no nosso trabalho de fiscalizar o governo”.

Atualmente, é possível consultar as proposições aprovadas neste link.

Junho Branco

Por unanimidade, os vereadores aprovaram um projeto de lei de Val Barbeiro (PHS) que cria o Junho Branco. A iniciativa busca ampliar as políticas de combate às drogas com diálogo e campanhas de conscientização durante o mês. Caberá ao prefeito a sanção ou o veto à lei.

Mobilidade na Região Serrana

O vereador Márcio Bittencourt (MDB) apresentou um requerimento, aprovado por unanimidade, que pede ao governo estudos sobre a viabilidade de um quebra-molas entre os distritos Trapiche e Óleo. O propósito é aumentar a segurança da população e dos motoristas que passam pela RJ 162.

Uma reforma que não sai do papel

Também por meio de requerimento, Marvel Maillet (Rede) cobrou da prefeitura uma resposta sobre a reforma da praça que fica localizada na Rua Edir Matos, na Nova Macaé. Ele destinou, em 2008, uma verba por meio de emenda impositiva para garantir a obra. “Precisamos saber o motivo do atraso, pois a verba existe de forma legal e em benefício dos moradores”, disse.      

› FONTE: ASCOM CMM