Vereadores de Macaé debatem a não aplicação de recursos federais na saúde

Publicado em 10/04/2019 Editoria: Geral
O Requerimento 018/2019, de Renata Paes (PSC), reivindicando ambulância para Córrego do Ouro

O Requerimento 018/2019, de Renata Paes (PSC), reivindicando ambulância para Córrego do Ouro

O Requerimento 018/2019, de Renata Paes (PSC), reivindicando ambulância para Córrego do Ouro, gerou debate sobre a não aplicação de recursos do Senado e da Câmara dos Deputados já liberados para a cidade. A proposição foi aprovada por unanimidade nesta quarta-feira (10), na Câmara Municipal de Macaé.

A autora alegou, no requerimento, que a grande quantidade de acidentes ocorridos no distrito, sobretudo nos fins de semana, além das más condições do posto de saúde local, são fatores que tornam ainda mais necessária a transferência das vítimas para outras unidades.

O presidente Eduardo Cardoso (PPS) chamou a atenção para o fato que Córrego do Ouro é populoso, com mais de 15 mil habitantes. “Soube de emendas do deputado federal Hugo Leal (PSD) para ambulâncias em Macaé, mas não sei se resultaram num investimento concreto”, disse ele.

Marcel Silvano (PT) afirmou que Macaé precisa de gestores capazes de superar as dificuldades que impedem o investimento na saúde de valores federais já disponíveis para o município. “Vou lembrar aqui verbas obtidas por meio do senador Lindberg Farias (PT) para várias unidades de saúde, especialmente na Serra Macaense, e que não foram aplicados”.

Nilton César Pereira (PROS), o Cesinha, lembrou duas proposições aprovadas do seu colega de partido, o deputado federal licenciado Felipe Bornier, hoje secretário estadual de Esportes. “Eram de R$ 300 mil cada. Apenas uma resultou na compra de uma ambulância”. Eduardo comentou que o fato de ser a capital brasileira do petróleo não deve fazer com que Macaé despreze recursos federais. “Isso seria uma arrogância”.

› FONTE: ASCOM CMM