Reunião discute a reativação da Comissão de Emprego em Nova Friburgo

Publicado em 11/02/2014 Editoria: Empregos
Representantes do governo, de sindicatos patronais e dos trabalhadores participaram da reunião com membros do CETERJ

Representantes do governo, de sindicatos patronais e dos trabalhadores participaram da reunião com membros do CETERJ

A Secretaria Municipal de Assistência Social, Direitos Humanos e Trabalho de Nova Friburgo – região serrana fluminense – reuniu  representantes dos sindicatos patronais e dos empregados para discutir a reativação da Comissão de Trabalho, Emprego e Renda da cidade. O encontro aconteceu no auditório do Centro Administrativo César Guinle e contou com a presença da secretária de Assistência Social, Simone de Almeida, e do subsecretário de Trabalho e Renda, Paulo Silva.

Também compareceram à reunião o presidente do Conselho Estadual de Trabalho, Emprego e Geração de Renda do Estado do Rio de Janeiro (CETERJ), Marco Antonio Lagos de Vasconcellos, e o secretário executivo do CETERJ, Marcírio Coelho Nunes, que tiveram a oportunidade de falar sobre a importância de se organizar uma comissão de trabalho em um município.

“Instituir uma comissão gera uma legalidade para que o município possa almejar benefícios dos governos do estado e federal. Sem ela é impossível delegar ou conseguir qualquer tipo de qualificação profissional e de melhorias para o município no que diz respeito à geração de renda. Quando se busca soluções em conjunto, é mais fácil ter uma noção do que realmente a cidade precisa” – destacou o presidente do CETERJ.

A comissão tem caráter permanente e deliberativo, de forma tripartite, paritária e deliberativa. Tem como finalidade consubstanciar a participação da sociedade organizada na administração de um sistema público de emprego, trabalho e renda. Uma nova reunião será agendada em breve para compor a Comissão Municipal de Trabalho, Emprego e Renda, que deve ser composta por 15 membros, sendo 5 representantes do governo, 5 de sindicatos patronais e 5 de sindicatos dos empregados.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)