Macaé News
Cotação
RSS

Celebrações e devoção marcam o Dia de Nossa Senhora Aparecida na região

Publicado em 10/10/2014 Editoria: Geral sem comentários Comente! Imprimir


Diácono Cleber Nascimento diz que as igrejas do país se preparam para homenagem

Diácono Cleber Nascimento diz que as igrejas do país se preparam para homenagem

Neste domingo, dia 12, as orações dos católicos se voltam a Nossa Senhora de Aparecida, padroeira do Brasil, data que lembra o apa­recimento da imagem no rio Paraíba do Sul. O Santuário de Nossa Senhora da Con­ceição Aparecida, o maior no mundo dedicado à Maria, lo­caliza-se no Vale do Paraíba, no eixo Rio de Janeiro – São Paulo. Em Rio das Ostras, Macaé, Casimiro de Abreu, Conceição de Macabu, Cara­pebus e Quissamã, celebra­ções devem atrair centenas de fieis às paróquias.

Em comemoração, as igrejas realizarão novenas que serão encerradas junto com as missas neste domin­go. Não vão faltar a consagra­ção e coroação da imagem. A história da padroeira do país por si só já é considerada um milagre. A chamada “pesca­ria milagrosa” aconteceu em 12 de outubro 1717, quando três pescadores encontraram uma estátua e a chamara Nossa Senhora Aparecida.

Em entrevista à equi­pe de reportagem do jornal RJNEWS, o diácono Cleber Nascimento, que atende as igrejas em Conceição de Ma­cabu junto com os padres Mauro Nunes e Jorge Pe­reira - falou sobre essa data especial. “Sou muito feliz por reconhecer Maria como mãe da igreja. Esse é um dia muito especial para nós ca­tólicos. As igrejas do país se preparam para homenagem, quem roga por nós todos os dias e nos envolve com seu manto sagrado”, disse.

Em 1717 três pescadores – Domingos Garcia, Felipe Pedroso e João Alves, levados por necessidades históricas e econômicas, saíram a pescar numa época escassa de pei­xe. Por ação misteriosa de Deus, chegando ao Porto de Itaguassu, a primeira coisa que caiu em suas redes foi o corpo de uma imagem que­brada, na altura do pescoço. Num segundo lance de rede, pescaram a cabeça da mesma imagem. Juntando as duas partes, viu-se que se tratava da Senhora da Conceição.

“Depois do encontro da Imagem, a pesca de peixes foi abundante e os pesca­dores intuíram a presença e ação de Deus naquele singu­lar evento. A imagem passou a receber orações e uma pe­quena capela foi construída. Por assim ter aparecido, o povo chamou-a de “Apareci­da”, nome consagrado pela devoção popular, chegando a ser proclamada Rainha (1904) e Padroeira do Brasil (1930). O Santuário foi de­clarado de âmbito nacional em 1984 pela Conferência Nacional dos Bispos do Bra­sil”, explicou o diácono Cle­ber Nascimento.

Com o tempo e os mi­lagres atribuídos à santa, o espaço ficou pequeno, tama­nha a devoção. Houve a ne­cessidade de um local maior e foi erguida a antiga basílica. Em 1888, a princesa Isabel visitou a igreja e presenteou a santa com um manto azul e uma coroa cravejada de dia­mantes e rubis. A construção da atual basílica, na cidade de Aparecida, começou em 1946 e a inauguração ocorreu em 1967.

Nossa Senhora foi decre­tada padroeira do Brasil, pelo papa Pio XI. Em 1980, ainda em construção, a basílica foi consagrada pelo Papa João Paulo II e recebeu o título de Basílica Menor. Em 1984, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) de­clarou oficialmente a Basílica de Aparecida como Santuário Nacional, o maior Santuário Mariano do mundo.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário