Macaé News
Cotação
RSS

PRE/RJ: Garotinho responde no TRE por usar carta em campanha

Publicado em 04/10/2014 Editoria: Eleições 2014 sem comentários Comente! Imprimir


Correspondência com pedido de orações provoca ação do MP Eleitoral

O deputado federal e candidato a governador Anthony Garotinho (PR) foi processado pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) por propaganda irregular ao enviar cartas para eleitores. Para o procurador eleitoral auxiliar Sidney Madruga, autor da ação, é ilegal o envio de correspondência para pedir orações em nome do político. A mala direta foi usada desde agosto para divulgar cartas com promoção pessoal, ao enaltecer virtudes e feitos, em especial de sua gestão como governador.

Como a legislação não prevê a cobrança de multa para esse tipo de propaganda irregular, foi pedido que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) condene Garotinho a interromper o envio dessa correspondência e, caso a ordem judicial seja descumprida, pague uma multa diária a ser fixada pelos desembargadores.

“Cabe reprimenda à conduta, sobretudo diante de tamanha invasão da privacidade dos eleitores”, diz o procurador eleitoral auxiliar Sidney Madruga, para quem ninguém deve ser obrigado a receber esse material. “Muitos eleitores certamente não seguem a mesma religião abraçada pelo político ou sequer o envio dos escritos teve sua anuência.”

Os impressos com o pedido de orações e conteúdo de promoção pessoal não trazem sua tiragem nem o CPF ou CNPJ do responsável por sua elaboração, o que também caracteriza uma violação à legislação eleitoral (Lei nº 9.504/97, art. 38, § 1º e Resolução TSE 23.404/2014).

 

› FONTE: MPF


sem comentários

Deixe o seu comentário