Macaé News
Cotação
RSS

TSE alerta que não será permitido o famoso ‘selfie’ na hora do voto

Publicado em 03/10/2014 Editoria: Eleições 2014 sem comentários Comente! Imprimir


De acordo com a Justiça Eleitoral, os mesários que flagrem algum eleitor fotografando o voto, a orientação é que o episódio seja registrado em ata

De acordo com a Justiça Eleitoral, os mesários que flagrem algum eleitor fotografando o voto, a orientação é que o episódio seja registrado em ata

Em tempos de sel­fie e redes sociais, o eleitor tem de ficar atento às regras da Justiça Eleitoral para o uso de celulares, smartphones e tablets no dia do pleito. De acordo com a assessoria do Tri­bunal Superior Eleitoral (TSE), enquanto estiver votando, o eleitor deve deixar o aparelho em um móvel, próximo aos cola­boradores responsáveis pela seção eleitoral. “Os mesários e o presidente de mesa estão orientados a determinar que o eleitor deixe os equipamentos eletrônicos que portar com o mesário”, informou o chefe da 109ª Zona Elei­tora de Macaé, Willian Dias Marchiote.

Ainda de acordo com ele, a legislação eleitoral proíbe o eleitor de portar aparelho de telefonia celular, máquinas fotográficas, filma­doras, equipamento de ra­diocomunicação, ou qualquer instrumento que possa com­prometer o sigilo do voto. “o sigilo do voto também abrange ambientes virtuais e redes so­ciais, ou seja, é proibido publi­car imagens ou fotos do voto e quem fizer isso pode sofrer sanções”, explica.

O TSE emitiu uma nota, onde deixou claro que não haverá revista de eleitores, mas as pessoas que desres­peitarem a legislação estão sujeitas a até dois anos de detenção. Para o pesquisa­dor de ciência e tecnologia Marcello Barra, apesar do intenso ativismo de eleitores nas redes sociais, quem bus­ca burlar a legislação presta um desserviço à nação. “A conquista do voto secreto é uma garantia da democra­cia. Qualquer meio que bur­le esse direito é um atentado à democracia”, resumiu.

Segundo ele, o caráter si­giloso impede que as pesso­as fiquem vulneráveis ao as­sédio para mudança de voto. “A pessoa acha que está aju­dando a militância, que está motivando outros a votar, mas, na verdade, ela está prejudicando o voto. O sigi­lo é uma garantia aos mais fracos”, completou. Barra lembra que a popularização dos smartphones trouxe um incremento no número de pessoas que passaram a in­teragir na discussão política.

Segundo o especialista, o uso da internet tem modi­ficado a forma como as pes­soas entendem e participam da vida política do país. “Eu venho acompanhando esse processo há muitos anos. Esses instrumentos estão se tornando cada vez mais importantes para a demo­cracia. Cada um coloca a sua opinião de maneira direta, é cada vez mais democrático”, ponderou.

Segundo o TSE, caso os mesários flagrem algum eleitor fotografando o voto, a orientação é que o episódio seja registrado em ata, iden­tificando o eleitor. Caberá ao juiz eleitoral comunicar o fato ao Ministério Público Eleitoral para instauração de inquérito.

› FONTE: RJ News


sem comentários

Deixe o seu comentário