Macaé News
Cotação
RSS

Ativistas jogam deputado ucraniano dentro da lata de lixo

Publicado em 17/09/2014 Editoria: Mundo sem comentários Comente! Imprimir


Vitaly Zhuravsky, membro do Partido das Regiões, levado por uma multidão em fúria na Ucrânia

Vitaly Zhuravsky, membro do Partido das Regiões, levado por uma multidão em fúria na Ucrânia

Dezenas de manifestantes enfurecidos próximos ao Parlamento ucraniano cercaram um deputado proeminente de oposição nesta terça-feira (16) e o jogaram dentro de uma lata de lixo, acusando-o de não apoiar leis que dariam um fim à turbulência no país.

Não ficou claro o que teria feito Zhuravsky atrair a ira dos manifestantes, mas o episódio aconteceu antes de uma sessão em que os parlamentares ratificaram um acordo da Ucrânia com a União Europeia e apoiaram leis para dar um status especial a regiões controladas por separatistas.

"Vivemos em um país onde o sangue escorre por sua causa", gritavam os manifestantes que cercaram o lixo no qual o deputado, de 59 anos, foi jogado.

O voto pela ratificação, sincronizado por vídeo chat com o Parlamento Europeu em Estrasburgo e que contou com o apoio unânime dos 355 deputados, desenha uma nova linha sob a questão, que no ano passado provocou a crise ucraniana e resultou na derrubada de Yanukovych, na anexação da Crimeia pela Rússia e em uma guerra com os separatistas Rússia apoiados que já deixou mais de 3 mil mortos.

A votação de Kiev foi ovacionada pelo parlamento, que celebrou a data com o hino nacional. Em um discurso para os legisladores, o presidente Petro Poroshenko considerou a votação "um primeiro passo, mas muito decisivo" para levar a Ucrânia para mais perto da União Europeia.

Petro Poroshenko, presidente da Ucrânia, disse que aqueles que morreram durante os protestos e durante os combates no leste "deram suas vidas para que pudéssemos ter um lugar digno entre a família europeia."

"Desde a Segunda Guerra Mundial não houve uma única nação que pagou um preço tão alto pelo seu direito de ser europeu", disse ele.

Com Reuters e AP

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário