Macaé News
Cotação
RSS

Macaé - Seminário aberto ao público trata das relações étnico-raciais

Publicado em 09/09/2014 Editoria: Cultura sem comentários Comente! Imprimir


No próximo dia 19, no Auditório da Fundação Educacional de Macaé (Funemac), haverá um seminário aberto ao público, intitulado ‘Caminhos para uma Educação Democrática’, sobre as relações étnico-raciais. O evento começa às 9h e termina às 18h, e é promovido pelo Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (Ceap-RJ).

O seminário faz parte da quarta edição do curso iniciado no último sábado (6), na própria Funemac, onde o Ceap também é o coordenador, em parceria com a Secretaria de Educação, Funemac e Coordenadoria Extraordinária de Igualdade (Cepir). O público alvo é constituído por educadores das esferas municipal e estadual, estudantes de licenciatura e gestores escolares.

Segundo a funcionária da Cepir, Sandra Brandão, tanto o seminário quanto o curso são de formação para professores em História da África e Educação das relações étnico-raciais Ceap 2014. Um subsídio maior de discussão para o trabalho pedagógico sobre as relações étnico-raciais na sociedade é oferecido nos debates e discussões durante o seminário.

- Já o curso teve sua aula inaugural aberta pela coordenadora do Ceap-RJ, Sandra Regina, quando 15 educadores marcaram presença – completa Sandra Brandão.

Ceap - O Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (Ceap) é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, laica, fundada em 1989, na cidade do Rio de Janeiro, por ex internos da Fundação Nacional do Bem-Estar do Menor (Funabem), membros da comunidade negra e do Movimento de Mulheres. Defende o direito à liberdade religiosa como um princípio, assim como a dignidade das religiões de matrizes africanas.

De acordo com a subsecretária de Educação na Saúde, Cultura e Esporte, Mônica Couto, outro material alvo de estudos dos professores é o Estatuto da Igualdade Racial (Lei 12.288-10), que expressa legítimas demandas da população negra e é reconhecido por constituir um importante instrumento para que as desigualdades raciais sejam reconhecidas e abordadas em diferentes esferas de governo.

A Funemac fica na Rua Aloísio da Silva Gomes, 50, na Granja dos Cavaleiros.

› FONTE: ASCOM


sem comentários

Deixe o seu comentário