Macaé News
Cotação
RSS

Comunicado - Meningite

Publicado em 12/08/2014 Editoria: Saúde sem comentários Comente! Imprimir


Divulgação

Divulgação

A Prefeitura de Macaé informa que não existe surto de meningite no município e que todas as medidas de controle da doença já estão sendo tomadas.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a incidência de casos de meningite no inverno é comum em todo o Brasil, pois as pessoas preferem os locais fechados. Como a doença é transmitida por uma bactéria que não sobrevive em ambientes ventilados, a recomendação é que as pessoas mantenham os ambientes arejados. 

Em 2013, foram 18 casos, sendo cinco de meningite meningocócica. Em 2014, foram 11 casos, sendo um caso de meningite meningocócica e um de meningococcemia.  

Neste domingo (10), uma criança, de seis anos, faleceu no Hospital Público Municipal (HPM), com um quadro sugestivo de meningococcemia grave. A Secretaria de Saúde reitera  que não existem outros casos da doença.

Todos os parentes e pessoas que tiveram contato com a criança já receberam medicação preventiva. Nesta segunda-feira (11), pela manhã, equipes da Vigilância em Saúde e do Programa Saúde na Escola estiveram na unidade de ensino onde a criança estudava.  Uma equipe técnica da Secretaria de Saúde está acompanhando o caso.

Informe Técnico da Prefeitura de Macaé sobre o Fluxo de Notificação de Caso Suspeito de Meningites

Definição de caso suspeito de meningite

- Crianças acima de 1 ano e adultos com febre, dor de cabeça intensa, vômitos, rigidez da nuca, convulsões e/ou manchas vermelhas no corpo.

- Em crianças abaixo de um ano de idade, os sintomas clássicos podem não ser tão evidentes. É importante considerar para a suspeita diagnóstica sinais de irritabilidade, como choro persistente, sonolência, convulsões, anorexia.

Proteção individual e da população – O isolamento do paciente está indicado apenas durante as primeiras 24 horas do tratamento com o antibiótico adequado. Nos casos de doença meningocócica ou meningite por Haemophilus influenzae está indicada a quimioprofilaxia do caso e dos contatos próximos. O medicamento de escolha para a quimioprofilaxia, prevenção por intermédio de remédio, é a rifampicina, que deve ser administrada em dose adequada e simultaneamente a todos os contatos próximos, sob orientação de um profissional da Vigilância Epidemiológica.

Doença Meningocócica – caracteriza-se pela presença de quadro clínico suspeito associado a petéquias/sufusões hemorrágicas pelo corpo ou exame laboratorial compatível com Neisseria meningitidis.

Contato íntimo: moradores do mesmo domicílio, indivíduos que compartilham o mesmo dormitório e/ou ambientes de trabalho e estudo, comunicantes de creches e pessoas diretamente expostas a secreções do paciente.

Proteção dos profissionais de saúde - quimioprofilaxia não está indicada para pessoal médico ou de enfermagem, sem uso de EPI’s, que tenha atendido pacientes com meningites bacterianas, a menos os que tiveram exposição às secreções respiratórias durante procedimentos como respiração boca a boca e/ou entubação e/ou exame de fundo de olho.

Imunização - As vacinas contra meningite são específicas para determinados agentes etiológicos. Algumas fazem parte do calendário básico de vacinação da criança e outras estão indicadas apenas em situações de surto.- 

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário