Macaé News
Cotação
RSS

Campos - Sobram vagas na Clínica de Reabilitação para dependentes químicos

Publicado em 11/01/2014 Editoria: Saúde sem comentários Comente! Imprimir


O Serviço de Proteção Social para Pessoas com Dependência Química de Campos, que funciona na Clínica de Reabilitação Geremias de Mattos Fontes, não tem demanda reprimida. Sobram vagas para atender os dependentes de substâncias psicoativas lícitas e ilícitas a partir dos 18 anos, que desejam ser internados voluntariamente. A informação é do vice-prefeito e secretário de Saúde, Doutor Chicão. Ele lembra que o Serviço é ligado à Secretaria Municipal de Saúde.

- A clínica funciona há um ano e meio em Pedra Lisa, Morro do Coco, distrito de Campos. O local, que tem capacidade para atender a 42 pacientes homens, atualmente, está atendendo a 38. A proposta é atendermos a mulheres também, mas a demanda de pacientes mulheres é muito baixa. Temos capacidade para abrigar até 70 leitos. A clínica foi instalada numa área onde funcionava um hotel fazenda - disse o vice-prefeito.

Segundo a diretora geral, Elen Fontes, as portas de entrada são o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Droga Dr. Ari Viana (Caps AD) e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). Segundo ela, uma equipe multidisciplinar, composta por médico, psicólogo, assistente social, professor de educação física, enfermeiro, pedagogo e terapeuta, faz o atendimento na Clínica.

- Em média, os pacientes ficam internados por 45 dias, recebendo tratamento psicoterápico. Quando necessário, fazemos tratamento medicamentoso. Após este período, eles voltam para o Caps AD, onde continuam sendo acompanhados por profissionais especializados – disse a diretora geral.

O diretor técnico da clínica, José Carlos Araújo Gomes, acrescenta que o atendimento inclui atividades terapêuticas e recreativas, além de oficinas e palestras. “Não apenas os pacientes, mas também suas famílias retomam a autoestima. O serviço representa uma parceria entre as Secretarias de Saúde, da Família e Assistência Social, e da Comunidade S8, uma Organização Não Governamental (Ong) de Nova Iguaçu”, acrescentou o diretor técnico.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário