Macaé News
Cotação
RSS

Ex-jogadores vão depor em investigação de máfia de ingressos

Publicado em 03/07/2014 Editoria: Copa 2014 sem comentários Comente! Imprimir


Após desarticular a quadrilha internacional que faturava milhões com a venda de ingressos da Copa do Mundo, a Polícia Civil do Rio de Janeiro ouvirá ex-jogadores que teriam possíveis ligações com o suspeito de encabeçar o esquema, o argelino Mohamadou Fofana.

Deverão prestar depoimento como testemunha nomes como Dunga - ex-técnico da Seleção e capitão da conquista de 94 - e Jairzinho – um dos heróis da Copa de 70 -, além de empresários e figuras importantes do futebol, segundo o jornal Folha de São Paulo.

A assessoria da polícia ainda não confirmou a informação das intimações, mas uma coletiva de imprensa está marcada para começar às 11h desta quinta-feira para esclarecer detalhes sobre o caso.

Na manhã de terça-feira, foram presas na “Operação Jules Rimet” 11 pessoas suspeitas de integrar uma quadrilha que negociava ingressos da Copa do Mundo que deveriam ser distribuídos gratuitamente para a comissão técnica da Seleção Brasileira e por patrocinadores.

De acordo com a Polícia Civil, o grupo, formado por cerca de 30 pessoas, tinha ligação direta com membros da Fifa, pois circulavam livremente em áreas restritas à entidade.

Segundo o delegado Fábio Barucke, responsável palas investigações, os cambistas chegavam a faturar R$ 1 mi a cada jogo.

"Eles confessaram que já realizaram quatro Copas do Mundo. Há a possibilidade de este grupo trabalhar apenas em mundiais. O lucro é tão grande que eles podem esperar de uma Copa para outra", disse Barucke.

A polícia estima que a quadrilha movimentava R$ 200 mi a cada edição do torneio. Os presos vão responder pelos crimes de lavagem de dinheiro, associação criminosa e cambismo.

Figurão da Fifa

Com direito até a adesivo no carro que dá acesso à qualquer evento privado da Fifa, Fofana é ex-jogador de futebol e empresário.

No site de sua agência, a Atlanta Sportif International, ele aparece em fotos ao lado de várias figuras do futebol brasileiro como Pelé, Romário, Ronaldo, Bebeto e outros.

Segundo a Folha, Dunga, Jairzinho e Carlos Alberto Torres serão ouvidos pela polícia porque estavam entre os convidados da festa que o argelino promoveu no Rio de Janeiro – no último dia 17 – em homenagem aos ex-jogadores da Seleção de 70.

Ainda de acordo com o jornal, a polícia investiga também se há ligação do grupo com o pai e empresário do jogador Neymar. Em uma ligação que foi grampeada, um dos integrantes da quadrilha afirmou que assistiria ao jogo entre Brasil e Chile ao lado do pai do craque.

À Folha, a assessoria de Neymar negou que Neymar da Silva conheça o argelino. Os outros jogadores não foram localizados pelo jornal.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário