Macaé News
Cotação
RSS

RJ: mulher mata empresário de futebol e se joga de prédio

Publicado em 07/06/2014 Editoria: Geral sem comentários Comente! Imprimir


Policiais da Divisão de Homicídios do Rio de Janeiro investigam as circunstâncias da morte de um homem em uma rua nobre de Ipanema, na zona sul da cidade, que teria sido morto pela companheira. Segundo a Polícia Civil, o alemão Stefan Krause, 49 anos, teria sido assassinado pela mulher logo após uma discussão, por volta das 7h30, em um apartamento do número 288 da Rua Barão da Torre, em Ipanema.

A polícia afirma que a mulher teria se jogado da cobertura do prédio logo após matar Krause. Ela foi encaminhada para o Hospital Miguel Couto, no Leblon, mas morreu. O corpo dela ainda não foi identificado e será levado para o Instituto Médico Legal, no centro. Policiais encontraram um revólver calibre 22 no apartamento, que passou por perícia.

Stefan Krause era alemão e era empresário dos jogadores de futebol Dankler, do Botafogo, e Danilo, do Vasco. Segundo um amigo dele, o australiano Steve Panopoulos, Krause queria terminar o relacionamento com a mulher, que chegou a morar com o alemão. "Ele falava que o relacionamento não estava bom, que ela era maluca, descompensada. Ela era muito ciumenta, cobrava ele demais", disse Panopoulos.

De acordo com Panopoulos, Krause era muito bem sucedido no meio do futebol e já havia promovido congressos de marketing esportivo e intermediado a venda de direitos de transmissão de campeonatos alemães para a TV no Brasil. Morando no Brasil há cerca de 20 anos, era descrito como muito discreto e não era casado. De acordo com Panopoulos, um irmão do empresário mora no Brasil. "Encontrei com essa garota que teria matado ele umas três ou quatro vezes, com ele. Ela parecia antipática, não fazia questão de dar um sorriso. Acho que se chamava Julia ou Juliana", afirmou Panopoulos.

Depois de passar dias viajando na Europa a negócios, sem a companheira, Krause havia chegado no Rio na última quinta-feira e já havia combinado com Panopoulos um encontro para colocarem o papo em dia. "Estou chocado. Moro a uma quadra dele e soube do que aconteceu quando a minha mulher passou na frente do prédio dele e me ligou chorando", disse Panopoulos.
Terra 

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário