Macaé News
Cotação
RSS

Construção de nova unidade de emergência em Macaé tem início em janeiro

Publicado em 06/01/2014 Editoria: Macaé sem comentários Comente! Imprimir


Flávio  Sardou

Flávio Sardou

» Prédio anexo ao HPM contará com 100 leitos e deve ser inaugurado em julho
 
A nova unidade de emergência e urgência anexa ao Hospital Público de Macaé (HPM) terá o contrato assinado para sua construção ainda em janeiro. Na última semana, o prefeito Dr. Aluízio se reuniu pela primeira vez com representantes do consórcio para os acertos do contrato. A previsão é que a unidade seja inaugurada em julho, mês de aniversário do município. O novo prédio de dois pavimentos e cerca de quatro mil metros quadrados comportará cerca de 100 leitos.
 
Com a construção do anexo, o HPM se tornará um hospital geral para atendimentos de média e alta complexidade. Segundo o prefeito de Macaé, Dr. Aluizio, 20 leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) serão abertos, incluindo dois para isolamento. “Vamos inaugurar um novo conceito de assistência hospitalar na cidade. Prestaremos serviços de urgência e emergência. O HPM ficará disponível para atender desde traumas a cirurgias oncológicas, tornando- se um hospital geral”, declara Dr. Aluízio.
 
Está previsto no orçamento de 2014 o recurso de R$ 9 milhões para a construção do anexo ao HPM. Para a obra, o município aderiu, através de pregão, a ata de um consórcio intermunicipal da Baixada Fluminense, visando a economicidade de quase 30% do montante que seria investido.
 
Além dos leitos de UTI e traumas, a nova unidade de pronto atendimento contará com leitos de observação, unidades intermediárias e consultórios. Neste anexo, médicos socorristas farão uma triagem clínica e encaminhamentos, nos casos necessários, ao HPM. O prédio vai dispor de equipamentos para radiografias, ultrassonografias, laboratório para urgências, entre outros recursos. De acordo com o presidente da Fundação Municipal Hospitalar de Macaé (FMHM), Newton José, o objetivo não é apenas aumentar a quantidade de leitos, mas sim, prestar um atendimento qualitativamente melhor e mais humanizado.
 
Durante a reunião, os detalhes finais da planta baixa do prédio foram discutidos e algumas alterações foram realizadas com o objetivo de priorizar a quantidade de leitos intensivos em detrimento a áreas para os setores administrativos. “Nossa filosofia é a criação de leitos assistenciais e a administração compartilhada para reduzir espaços administrativos”, acrescentou o prefeito Dr. Aluízio.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário