Macaé News
Cotação
RSS

Dia Nacional do teste do pezinho é marcado por compromisso da Prefeitura de Casimiro de Abreu em realizar o teste nos recém-nascidos

Publicado em 06/06/2014 Editoria: Saúde sem comentários Comente! Imprimir


Vitor Nantes

Vitor Nantes

Exame permite detectar mais de trinta doenças quando é feito precocemente.

         Nesta sexta-feira, 06, é comemorado em todo o Brasil o Dia Nacional do Teste do pezinho. A data foi instituída pelo Governo Federal para reforçar a importância do exame, que deve ser realizado entre o terceiro e sétimo dia de vida do bebê. Com a coleta de uma pequena amostra de sangue do calcanhar do recém-nascido, o teste é capaz de detectar mais de trinta doenças, como fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito e fibrose cística, que quando não diagnosticadas a tempo, podem afetar o desenvolvimento da criança.

          Em Casimiro de Abreu, a média de testes realizados é de 30 por mês. Em 2013, foram realizados aproximadamente 400 testes. Até Junho deste ano, foram realizados cerca de 190. Isto significa que praticamente todos os bebês nascidos no Hospital Municipal vão até a Rede Pública de Saúde para fazer o exame. Esse é o caso da dona de casa Luciana Cabral, de 25 anos. Mãe pela segunda vez, ela fez questão de levar a pequena Larissa, com apenas quatro dias de vida para fazer o teste. “Logo depois que ela nasceu, uma enfermeira do Hospital me informou sobre a importância de fazer precocemente o teste do pezinho nos bebês. Assim, caso ela tenha alguma doença é possível começar o tratamento bem cedo,” disse Luciana.

       ATENDIMENTO - O teste é realizado todos os dias da semana em duas unidades de saúde de Casimiro, na Policlínica Dr. Manoel Marques Monteiro, no Centro e na Estratégia de Saúde da Família - ESF BNH, no bairro BNH. Quem mora nos distritos não precisa se deslocar até a cidade, pode fazer o teste na ESF mais próxima de casa. Eles também são feitos nas ESF de Professor Souza, Palmital, Barra de São João e Rio Dourado. Sempre no horário de 9 h às 11h.  

      A técnica em enfermagem, Ana Lívia, disse ainda que quando a mãe, por alguma eventualidade, leva o bebê fora do prazo para fazer o teste, a coordenadora da ESF agenda um dia para levar os dois, em um carro da Prefeitura, para fazer o teste no Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia (IEDE), no Rio de Janeiro.  “Nós realizamos o teste até os 30 dias de nascido da criança, embora este não seja o recomendado. Depois disto, o teste só pode ser feito no IEDE. E como sabemos da grande importância dele, nos comprometemos em levar mãe e filho até o Instituto, para que no caso de alguma anormalidade, esta criança possa ter a doença detectada e ser encaminhada para o tratamento o mais rápido possível,” informou Ana. 

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário