Macaé News
Cotação
RSS

Extra de SP é flagrado alterando validade dos alimentos

Publicado em 31/05/2014 Editoria: Economia sem comentários Comente! Imprimir


Fiscais encontraram peças de presunto cozido, mortadela e alguns laticínios revalidados com datas que ultrapassavam a determinação do fabricante

O Procon do Rio de Janeiro multou nesta sexta-feira (30) sete de 11 estabelecimentos fiscalizados na Zona Norte do Rio de Janeiro por má conservação dos produtos. Os agentes flagraram uma filial do supermercado Extra, em Niterói, modificando a data de vencimento dos alimentos. No total, os fiscais descartaram mais de 107 quilos de alimentos impróprios para consumo.

O caso considerado mais grave foi o do Extra, de Itaipu. Os fiscais flagraram peças de presunto cozido, mortadela e alguns laticínios, sendo revalidados com datas que ultrapassavam a determinação do fabricante. O presunto, por exemplo, com validade original de 1º de junho foi etiquetado para vencer em 13 de junho.

Os agentes também detectaram o não cumprimento da promoção que reduzia em 21% o valor da segunda caixa de cerveja caso o cliente comprasse duas. Porém, na hora de pagar, o consumidor pagava o mesmo preço por cada uma das caixas. O agentes determinaram a solução imediata do problema.

Leia mais: Carne maquiada em embalagem enganosa: vídeo gera polêmica

No Supermarket de Piratininga, Niterói, a fiscalização encontrou 21 quilos e 648 gramas de linguiça de frango, fígado e carne moída vencidos; além de 11 quilos e 860 gramas de alimentos, entre frios e salsicha, sem especificação quanto ao vencimento.

Alguns produtos expostos à venda não traziam etiquetas de preço. O estabelecimento se comprometeu a limpar e melhorar as condições da sua câmara frigorífica.

Já no Supermarket da Praça Seca, foram inutilizados 3 quilos e 218 gramas de queijos e champignon vencidos, 7 quilo de frios sem identificação, e 31 quilos de costela que, segundo o supermercado, estavam separados para descarte.

O Supermercado Real e o Supermarket, de Itaipu; o Real

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário