Macaé News
Cotação
RSS

Macaé realiza primeiro LIRAa de 2014 para identificar focos de dengue

Publicado em 05/01/2014 Editoria: Saúde sem comentários Comente! Imprimir


O primeiro Levantamento de Índice Rápido para o Aedes Aegypti (LIRAa) do ano em Macaé, interior do estado do Rio de Janeiro, será realizado a partir da próxima segunda-feira (6). Segundo a coordenação do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), o resultado da pesquisa vai auxiliar o governo na definição das ações que serão realizadas no combate ao mosquito transmissor de Dengue.

No último LIRAa apresentado pelo município, em outubro do ano passado, o índice de infestação na cidade foi de 1,8%. Em julho, tinha sido 1,4%. Dos 47 bairros vistoriados naquela ocasião, três apresentaram dados alarmantes: Cajueiros (7,3%), Nova Esperança (4,5%) e Ajuda de Cima (4,1%). Números que apontavam estado de risco.

Até outubro tinham sido informadas 4.228 notificações, sendo que desses 3.541 foram encerrados como dengue clássico, 18 casos de dengue com complicações. Destaca se um aumento expressivo de notificações nos meses de fevereiro: 507; março: 1488; abril: 1220; maio: 654.

“O LIRAa nos fornece o diagnóstico rápido da situação do município, facilitando assim nossa ação de combate à doença”, destacou o supervisor geral do Centro de Controle de Zoonozes (CCZ), Flávio Paschoal.

No levantamento também é possível identificar quais os tipos de criadouros mais recorrentes em cada localidade, facilitando as ações de mobilização social e conscientizando a população do maior risco em sua área. Os últimos levantamentos mostraram que é fundamental a mobilização da sociedade civil, pois 85% dos focos de dengue estão dentro da casa das pessoas, com maior predominância da larva do mosquito em depósitos ao nível do solo para armazenamento doméstico, como: tonel, tambor, barril, tina, cisternas e caixas d’água.

A ação é realizada pelo CCZ e mobilizará cerca de 120 agentes. Eles irão percorrer os 48 bairros da cidade vistoriando as 4121 imóveis na área urbana e 239 imóveis na área rural, além de visitas aos distritos da região serrana.  As amostras recolhidas serão identificadas com o endereço, o tipo de criadouro, como tonéis e pratos de planta, e o local onde a larva foi encontrada, se é residência, comércio ou terreno baldio. Os resultados do LIRAa serão divulgados em até dois dias úteis depois do fim do levantamento.
 

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário