Macaé News
Cotação
RSS

Silvinho Lopes está de olho no futuro: Por uma Macaé resiliente, sustentável e digital

Publicado em 29/10/2020 Editoria: Eleições 2020 sem comentários Comente! Imprimir


Silvinho Lopes é macaense, casado com Fabiana, com quem tem dois filhos

Silvinho Lopes é macaense, casado com Fabiana, com quem tem dois filhos

Silvinho Lopes é macaense, casado com Fabiana, com quem tem dois filhos:  Elisa e Enzo. Engenheiro civil de formação e pós-graduado em Administração Pública, foi secretário de planejamento e gerente municipal de Macaé entre os anos de 1997 e 2004, período que acumulou bastante experiência em gestão pública. Durante seu período de atuação na prefeitura, teve a oportunidade de participar de serviços importantes realizados para a população como, a construção do HPM, o Centro de Convenções, o Teatro Municipal, as Linhas Azul e Verde entre outros.
Silvinho destacou que teve a oportunidade de tirar do papel obras como o Parque da Cidade, Sede da Prefeitura e Ginásio Poliesportivo. Hoje ele se sente preparo para comandar o Poder Executivo de Macaé e é o candidato do DEM.

RJ News: Por que resolveu ser candidato à prefeito de Macaé?
Silvinho: Tenho uma vida tranquila, hábitos simples e uma situação financeira estável, porém é muito difícil colocar a cabeça no travesseiro e saber que tem muita gente passando por necessidade. Ver nossa Macaé, a 25° cidade mais rica do país, sendo mal administrada, vivendo um retrocesso atrás do outro, me incomodou. Estou terminando meu mestrado em Administração Pública, mas sempre digo que minha maior e melhor escola foi quando tive a oportunidade de conhecer de perto o funcionamento da máquina pública, junto com inúmeros servidores.

RJ News: Macaé é uma cidade complexa para governar. Já imagina como será a sua atuação?
Silvinho: Muitos se preparam para disputar a eleição, mas poucos para fazer gestão.  Uma das minhas qualidades é saber ouvir e não quero perder essa característica. “Cuidado com o que você pede a Deus que ele pode te atender!”. Temos um plano de governo que foi elaborado com a participação de lideranças da população, especialistas e técnicos em diversas áreas. Foi um trabalho em que todos mapearam os principais problemas e juntos desenvolvemos propostas para solucionar as dificuldades enfrentadas pela cidade. Não tenho um projeto de poder, temos projeto de gestão. Macaé tem pressa!

RJ News: O seu plano de governo tem o título "Macaé inteligente". O que seria Macaé inteligente? Falta muito para a cidade ser inteligente?
Silvinho: Falta tudo! Estamos estagnados e dependentes exclusivamente do setor de óleo e gás. Precisamos investir em novas artérias de desenvolvimento: turismo, pesca, agricultura, pecuária e na área do conhecimento. Macaé Inteligente, no sentido de uma visão de futuro, de uma cidade resiliente, sustentável e digital.
Uma cidade resiliente é aquela que consegue enfrentar e se recuperar rapidamente de crises de todos os tipos, com o mínimo de sofrimento para a sua população. A Macaé Inteligente será capaz de se adaptar e passar pelas adversidades, aproveitando as oportunidades, porque terá uma população saudável e bem formada, com acesso ao conhecimento, uma economia diversificada, além de uma rede de proteção social efetiva. A Macaé Inteligente: resiliente, sustentável e digital, será formada por pessoas educadas, saudáveis, seguras e felizes.

RJ News: Estamos saindo de uma pandemia que gerou uma crise, um desemprego grande e ainda merece cuidados. O prefeito eleito que assumir vai ter um grande desafio. O que pretende fazer para melhorar e fomentar a economia, sem perder a segurança?
Silvinho: A saúde é essencial, e a preservação da vida é fundamental.  Mas precisamos trabalhar um setor sem sacrificar o outro. A saúde salva vidas, mas a economia também. Sem emprego, sem salário, o povo não consegue levar para casa o pão de cada dia.  O comércio, setor que mais emprega no município, foi extremamente prejudicado. O ramo gastronômico ainda sofre com a imposição de decretos municipais, com horários reduzidos. Nosso Plano de Recuperação Emergencial é formado por cinco projetos, três dos quais diretamente ligados à economia:

Recuperação da Economia e dos Empregos – conjunto de ações para o reaquecimento das atividades empresariais, tais como hotéis, bares, restaurantes e outras ligadas ao turismo, atividades culturais e comércio em geral. Estas ações incluem incentivos, isenções e extensões de prazos de alvarás, licenças, taxas de publicidade, impostos e horários de funcionamento, assim como microcrédito e iniciativas de treinamento, capacitação e realocação de trabalhadores locais.
Renda Macaé Social – avaliação da manutenção do auxílio emergencial, consolidando os diversos projetos de bolsas e auxílios em um programa de renda mínima como um instrumento de proteção e resiliência social para a população mais pobre do Município.
Retomada dos investimentos públicos em infraestrutura urbana – início imediato das obras públicas do Plano de Governo, principalmente as reformas e reconstruções, gerando emprego e renda, e reaquecendo a economia local.
Nossa Gestão vai trabalhar em parceria com o terceiro setor e com a sociedade civil organizada, para que possamos entender a realidade de cada área, planejar e executar soluções.

RJ News: A saúde é um setor importante que ainda recebe muitas críticas.  Qual é a sua estratégia para melhorar a saúde?
Silvinho: Saúde é essencial.  Vamos priorizar o plano emergencial de recuperação da rede primária de atenção básica e a expansão das unidades de atenção primária, com recuperação predial, de instalações e equipamentos, fortalecimento das equipes e expansão das unidades em toda a cidade. Com as equipes reforçadas, faremos uma grande adaptação da cidade aos protocolos de prevenção à pandemia. Vamos construir um novo Centro de Especialidades no Aeroporto, além de ampliar o HPM, readequando e ampliando também a maternidade, o banco de leite humano e o centro cirúrgico. Vamos também readequar o Hospital da Serra, facilitando os atendimentos de média complexidade.

RJ News: O que fará para melhorar a educação?
Silvinho: Propomos uma Gestão Integrada entre Educação, Cultura e esportes. Vamos implantar a Escola Modelo, que oferecerá ensino de qualidade em tempo integral. Além de salas de aula multimídia, haverá quadra poliesportiva, biblioteca, sala de informática, auditório, creche e módulo de capacitação profissional. Vamos fortalecer a gestão escolar, fortalecer a gestão pedagógica e valorizar e capacitar os profissionais de educação. Nossa meta é que Macaé obtenha o IDEB compatível com o tamanho do seu enorme orçamento e se iguale aos melhores índices do Brasil.
No Plano de Recuperação Emergencial para a Educação, a garantia do acesso ao ensino seguro e digital a todos os alunos da rede municipal, por meio de ações de prevenção à Covid-19 na volta às aulas e do fornecimento de internet de alta velocidade, notebooks e tablets.

RJ News: Seu vice demorou ser anunciado e mudou durante o processo pré-eleitoral. Qual é a importância do seu vice no seu mandato?
Silvinho: Ao contrário do que muitos pensam, o vice-prefeito tem um papel fundamental na administração pública, e não deve ser escolhido sem critérios. O vice faz parte da equipe de uma gestão e tem que ser preparado para exercer a função de prefeito. Foi o que eu disse antes, temos um projeto de gestão, não de poder. Temos equipe, não “EUquipe”. É estranho um prefeito governar sem um vice ao seu lado.
Escolhemos o Marcelo Merrel pelo seu caráter, sua competência, por ser estreante na política, assim como eu ele nunca foi candidato a nada, e porque ele tem uma história de dedicação aos setores comercial e industrial de Macaé. É um homem que atua há anos na geração de empregos e representa a área de desenvolvimento econômico da cidade, setor crucial para Macaé Forte outra vez.

› FONTE: RJ News


sem comentários

Deixe o seu comentário