Macaé News
Cotação
RSS

Serra Macaense se prepara para construir complexo esportivo e conquistar o mundo

Publicado em 18/10/2020 Editoria: Esporte sem comentários Comente! Imprimir


Sultão Elsayed disse que o Serra Macaense poderá ser o primeiro time do Brasil com uma sede em Dubai

Sultão Elsayed disse que o Serra Macaense poderá ser o primeiro time do Brasil com uma sede em Dubai

Uma visão empreendedora e audaciosa pretende colocar o Serra Macaense no cenário regional, nacional e até mundial. O projeto do clube, apresentado pelo presidente Rodrigo dos Santos, conta com a construção de um complexo esportivo em Macaé, além do investimento na categoria de base, em projetos sociais e no time profissional, para conseguir chegar à Série B do Campeonato Brasileiro em aproximadamente cinco anos. O evento de apresentação de todos os passos deste planejamento contou com um representante de investidores do mundo árabe, Sultão Elsayed. Ele destacou que o Serra Macaense poderá ser o primeiro time do Brasil com uma sede em Dubai.

Um projeto inovador, audacioso e que pretende mudar o cenário do futebol macaense. Assim foi apresentado o trabalho realizado pela equipe do Serra Macaense, que visa construir um complexo esportivo, além de promover quatro frentes de investimento no clube, transformando-o em referência regional, estadual e até mundial. O evento de lançamento do projeto aconteceu na última quinta-feira, dia 15 de outubro, e contou com a presença do representante de investidores do mundo árabe, Sultão Elsayed, além de membros da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) e de patrocinadores do clube.

O diretor executivo do Serra Macaense, Marcelo Soares, revelou os planos para os próximos anos. “Serão quatro frentes de investimento: ter o nosso centro de treinamento; investir em crianças e adolescentes, principalmente rede pública e de áreas mais vulneráveis – aproximadamente três mil crianças de 6 a 18 anos – não apenas para prospectar talentos, mas também para fomentar o social; investir na categoria de base e se tornar referência no Brasil e trabalhar os atletas de alta performance para estar na Série B do Campeonato Brasileiro daqui a 4 ou 5 anos”, revelou.

Na ocasião, um vídeo do projeto do complexo esportivo foi apresentado. Localizado em uma área de 56 mil metros quadrados, próximo ao condomínio Vale dos Cristais, o empreendimento contará com três campos com dimensões oficiais, sendo de grama 2 sintética e 1 estádio com grama natural e capacidade de 3.600 espectadores; área social; piscina; ginásio subterrâneo com quatro quadras – duas de futsal e duas poliesportivas; hotel; estacionamento para 570 veículos e abastecimento de energia solar com 560 fotolitos.

“Esse é um momento especial para nós. Trabalhamos durante quatro anos para apresentar esse projeto e esperamos colocá-lo em prática em um curto espaço de tempo. O sultão vai apresentar o projeto para investidores árabes e precisaremos do poder público para colocá-lo em prática, não com dinheiro, mas com que o processo de aprovações dentro da prefeitura flua”, revelou o presidente do Serra Macaense, Rodrigo dos Santos.

Pela primeira vez em Macaé, Sultão Elsayed, conheceu a realidade da cidade, as áreas mais vulneráveis e também o local onde será o complexo esportivo do clube. Ele disse que gostou muito do que viu e que as expectativas são muito boas. “Hoje está tudo organizado para levar o projeto para o Conselho de Esporte de Dubai, para que o representante ouça cada detalhe. As pessoas que estão à frente do Serra Macaense têm visão para o futuro, trabalham com a formação de base vão construir bons jogadores. Daqui cinco anos Macaé será muito melhor para os negócios e para o futebol”, declarou.

O representante árabe salientou que Dubai sempre procura ser número um nos negócios que investe. “Serra pode ser o primeiro clube brasileiro com uma sede em Dubai e em outros países, levando o futebol do Brasil para o exterior”, revelou.

Rodrigo Santos frisou que o clube tem um plano “B”, caso os investidores não cheguem conforme o esperado. “Temos um excelente jogador, o Matheus Babi, que é de Macaé, da Aroeira e do Serra Macaense e está emprestado para o Botafogo. Com a venda dele conseguiremos financiar 50 por cento do projeto”, garantiu.
Atualmente o clube cercou o terreno e iniciou a terraplanagem da área. A diretoria pretende entrar com o pedido de licenciamento na prefeitura ainda este ano. “Nossa licença da terraplanagem está acabando. O projeto ainda falta acertar alguns detalhes, mas esperamos entrar com o projeto para aprovação, na prefeitura de Macaé, até dezembro. Sabemos que esse processo não é rápido. Babi deve ser vendido até junho, quando pretendemos dar o ponta pé inicial no processo”, revelou.

O delegado da FERJ, Nery Filho, destacou a importância do empreendimento. “Foi uma surpresa para a FERJ, conhecemos hoje o projeto que é muito importante, não só para valorizar o nosso futebol, mas também para gerar emprego para a população. Vemos com bons olhos tudo que foi apresentado, principalmente em relação às crianças, que terão possibilidade e esperança de jogar futebol em um grande time”, avaliou.

› FONTE: RJ News


sem comentários

Deixe o seu comentário