Macaé News
Cotação
RSS

Christino reforça necessidade de regulação correta e modelo adequado para que o gás natural atraia investimentos à Região Norte Fluminense

Publicado em 29/09/2020 Editoria: Economia sem comentários Comente! Imprimir


Com a aprovação da nova Lei do Gás, deputado volta a destacar a importância do insumo para a retomada econômica do Estado do Rio e do país

Christino Áureo (PP-RJ) voltou a defender a necessidade de regulação correta para que o gás natural seja um grande fator para a retomada econômica do Estado do Rio de Janeiro e do Brasil. Na última sexta-feira (25), em live promovida pela agência EPBR, que abordou o novo mercado de gás no Estado do Rio, especialmente no Norte Fluminense, o deputado, presidente da Frente Parlamentar para o Desenvolvimento Sustentável do Petróleo e Energias Renováveis (FREPER), ressaltou a importância de se ter regulação e modelo adequados, para que os investimentos cheguem à região, gerando emprego e renda, sobretudo após a pandemia do novo coronavírus.

– Nós temos que unir as forças de quem tem responsabilidade com o Estado e, diria até, com o país. O Rio tem um espaço tão significativo com a federação que qualquer problema repercute, do ponto de vista econômico. Não podemos nos dar ao luxo de ter crise em um setor que é um dos motores da economia do país. É um assunto fundamental para a retomada do Brasil. Uma janela para explorarmos adequadamente, olhando sempre para o futuro e sabendo que o cronômetro está ligado. Se desperdiçarmos essa oportunidade, não tiraremos deste momento tudo o que precisamos – afirma Christino Áureo.

Para o presidente da Shell do Brasil, André Araújo, que também participou do debate, a regulação é uma das chaves para que o tema avance e gere investimentos. Segundo ele, é importante reconhecer que a nova regulação estadual tem que estar em consonância com o novo mercado de gás do governo federal.

– São quatro pilares para que o gás natural cresça. Além da regulação, precisamos da promoção da concorrência, integração do setor com os segmentos elétrico e industrial e a remoção de barreiras tributárias. O Estado do Rio de Janeiro é o maior polo da indústria de petróleo e gás, com 60% da produção nacional. Está próximo ao pré-sal e tem esse diferencial de competitividade a seu favor – pontua.

Araújo ressaltou a importância da atuação do deputado Christino Áureo à frente da FREPER nas articulações e no tratamento dado aos mais diversos representantes do setor, fundamental para o avanço da matéria.

– Quando a FREPER começou o projeto e estivemos juntos, o deputado foi muito transparente ao dizer que o papel dele na Frente era assegurar espaço para ouvir todos os setores e diferentes segmentos, para buscar os pontos que nos uniam. Os operadores realmente tiveram espaço para colocar o posicionamento, mesmo em um ambiente em que conflitos naturais são colocados. Queria agradecer ao deputado. Vivemos em um ambiente de eterno conflito de interesse, e a arte mesmo é encontrar os pontos comuns que nos movem – acrescenta o presidente da Shell do Brasil.

Bruno Chevalier, presidente da Marlim Azul, parque termelétrico em implantação no município de Macaé, também seguiu a linha do deputado Christino Áureo. Segundo ele, o mais importante é que o Estado mostre segurança jurídica e estabilidade regulatória. É fundamental que os investidores saibam as regras, onde pisam e como tudo vai funcionar.

– Há uma série de desafios que têm que ser vencidos. Se o Estado se coloca de forma a atrair o investimento, é preciso corresponder com a regulação. Isso se dá de maneira complexa, em nível federal e estadual. São diversos atores que formam essa regulação. Nós estamos numa fase de transformação. A nova Lei do Gás está para ser votada no Senado. É um momento especial para o país. Temos que aproveitar esse gás, é um dever nosso – comenta Chevalier.

Um dos principais articuladores da nova Lei do Gás, o deputado Christino Áureo reafirmou a importância da aprovação do novo marco regulatório do gás para que o país dê um passo à frente e crie oportunidades. Em São João da Barra, há um grande parque termelétrico em construção. O Porto do Açu, na região, recebe investimentos da Gás Natural do Açu (GNA), presidida por Bernardo Perseke, que também participou do encontro virtual. De acordo com ele, a segurança jurídica será o caminho principal para que o Estado do Rio possa se desenvolver.

– O Rio tem vocação natural para investimentos em óleo, gás e energia. Olhando o mundo pós-pandemia, nós disputaremos investimentos com outros estados e outros países. A segurança jurídica será superimportante para atrair investimentos para o Estado. A estimativa de produção de gás para os próximos anos é tal que as rotas não serão capazes de escoar e atender. Precisaremos de novos gasodutos para atender essa capacidade – afirma Perseke.

Ânimo

O deputado mostra otimismo com o futuro do gás no Estado do Rio, especialmente na Região Norte Fluminense, que se desenvolverá e proporcionará emprego e renda para a população.

– O que me anima é que temos uma carteira de bons projetos. Não podemos deixar que crises políticas de origem nefasta manchem a possibilidade de tocar um estado tão rico de oportunidade. Não podemos matar a galinha dos ovos de ouro. Temos que olhar para o gás como grande fator de transição em relação ao que será o futuro – conclui.

› FONTE: Ascom


sem comentários

Deixe o seu comentário