Macaé News
Cotação
RSS

Auxílio Emergencial: filas voltam a gerar aglomerações nas agências bancárias de Macaé

Publicado em 20/09/2020 Editoria: Geral sem comentários Comente! Imprimir


O pagamento do Auxílio Emergencial Financeiro do governo federal, no valor de R$ 600, e do Bolsa Alimentação, no valor de R$ 200, criado pela Prefeitura Municipal de Macaé, voltou a gerar aglomerações nas agências bancárias da cidade nesta semana.

Na agência central da Caixa Econômica Federal, uma tenda com cadeiras está na rua, em frente ao banco, para que o público espere o atendimento sentado, após receber a senha para entrar na agência. Apesar disso, para amenizar a espera das pessoas, o que se viu foi muita aglomeração, sem o distanciamento social recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) de 1,5 metro a 2 metros.

Segundo o pedreiro Gilberto do Prado Ribeiro, de 68 anos, a necessidade de se aglomerar em uma fila quilométrica se deve, ainda, ao recebimento da segunda parcela do auxílio no valor de R$ 600. Enquanto muitos estão recebendo a quarta e já partindo para a quinta parcela do benefício, Gilberto está à espera da segunda. Ele relatou ao RJ News que chegou à fila por volta das 8h e quando conversou com a reportagem, às 10h, ainda estava na fila das pessoas que aguardavam em pé. “Eu não esperava essa quantidade de gente, porque muitos já receberam. Eu estou aqui porque a minha segunda parcela foi bloqueada. E mesmo aqui neste tempo todo esperando, estou arriscado a não receber”, desabafou.

Caroline da Silva, de 21 anos, também ficou horas na fila esperando para receber a quarta parcela do auxílio emergencial. Assim como o pedreiro Gilberto, ela chegou por volta das 8h e disse ter ficado espantada com a grande quantidade de pessoas à espera de atendimento.

Saque do FGTS
Demitida há 40 dias de uma empresa do setor rural, a auxiliar administrativo Daniela da Silva, de 43 anos, também enfrentou uma extensa fila para sacar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Ela chegou por volta das 8h30. “Tomara que eu seja atendida, porque eu não imaginava ter tanta gente assim. Mas fazer o que... O fundo de garantia será a minha única renda até eu conseguir encontrar outro emprego. Eu tenho que esperar”, informou.

Valores das parcelas do auxílio serão de R$ 300, segundo decreto do governo
O pagamento do Auxílio Emergencial foi prorrogado pelo governo, mas segundo decreto publicado pelo Ministério da Cidadania, o pagamento será de até quatro parcelas de R$ 300, que é do Auxílio Emergencial Residual, oficializado em Medida Provisória publicada no início do mês. Segundo o novo decreto, o auxílio emergencial residual será pago até 31 de dezembro, independentemente do número de parcelas recebidas pelo beneficiário.

O texto esclarece também que beneficiários que começaram a receber após abril terão direito a menos parcelas de R$ 300. "O número de parcelas devidas ao trabalhador beneficiário dependerá da data de concessão do auxílio emergencial residual, limitado a quatro parcelas", informa um dos trechos do decreto.

O decreto prevê, porém, uma exceção. "Caso não seja possível verificar a elegibilidade ao auxílio emergencial residual em razão da ausência de informações fornecidas pelo poder público, serão devidas, de forma retroativa, as parcelas a que o trabalhador fizer jus", também diz o texto.

Pelas regras da segunda fase do programa, quem passou a receber a partir de julho, por exemplo, terá direito às cinco parcelas de R$ 600 e a mais uma parcela do novo benefício, que será paga no mês de dezembro, explicou o Ministério da Cidadania nesta semana.
 

› FONTE: RJ News


sem comentários

Deixe o seu comentário