Macaé News
Cotação
RSS

Pandemia trouxe motivação para a realização do sonho da casa própria

Publicado em 20/09/2020 Editoria: Economia sem comentários Comente! Imprimir


Passar mais tempo em casa, com muitas incertezas em relação às questões financeiras, está fazendo o brasileiro a se importar mais em ter a casa própria. Esse novo momento pode ser importante para ajudar a recuperar o fôlego do ramo imobiliário.

Pedro Aguiar, que trabalha como corretor em Macaé, há seis anos, contou que desde agosto tem percebido um grande interesse dos seus clientes em comprar terrenos. A procura e compra por casas e apartamentos também tem sido boa.

"Em uma semana, temos pelo menos cinco clientes interessados em terrenos, o que é uma taxa boa de procura. Em relação à compra de casas e apartamentos, tenho percebido que o público está interessado em imóveis com uma média entre R$450 mil e R$600 mil", revelou.

Pedro também identificou um aumento de interessados em aluguéis de casas para pessoas de outras regiões, que vieram para Macaé devido ao trabalho. Já em relação aos aluguéis de estabelecimentos comerciais, o corretor só viu redução durante a pandemia.

"Neste período observei clientes interessados em comprar e também muitas pessoas procurando aluguéis, principalmente trabalhadores chegando de outros estados, como Rio Grande do Norte, Sergipe, Paraná e Rio de Janeiro. Já com relação a aluguel de lojas e salas comerciais a procura reduziu desde o início da pandemia", afirmou.

A expectativa é que as incertezas que acompanharam a pandemia acabem logo e o setor ganhe mais espaço. "A principal mudança durante a pandemia é que o mercado estava um pouco incerto no início, porém, com o passar dos dias, as pessoas e o mercado foram se adaptando para seguir de forma segura nas negociações, respeitando as necessidades de cada um", frisou.

A dona de casa, Márcia Fernandes, de 50 anos, é um exemplo claro desses novos clientes.  Ela contou que sempre trabalhou muito, mas nunca planejou ou achou possível ter a sua própria casa. Mas, recentemente colocou isso como meta de vida e já está com tudo esquematizado para fazer seu financiamento.

"Acho que no fundo todo mundo sonha em ter a casa própria, mas sabemos que não é fácil e as vezes acabamos não dando muita importância a essa ideia. Mas, quando paramos para pensar em tudo que gastamos com aluguel e as dores de cabeça e incertezas, que acabam vindo de brinde, entendemos que ter a casa própria é algo extremamente necessário", garantiu 

Na Região dos Lagos a realidade é outra. O número de casas disponíveis para venda aumentou e a procura reduziu. Segundo empresários do ramo, é um momento delicado. "Recebemos muitos clientes querendo colocar sua casa à venda, mas a procura reduziu bastante em comparação à alta que estava antes da pandemia. Acredito que, por estarmos na Região dos Lagos, as pessoas compram mais uma &39;casa de praia&39;, que acaba se tornando um artigo de luxo e pode ser dispensado diante do cenário de incertezas econômicas", explicou a corretora, Viviane Carvalho.

Por outro lado, ela disse ainda há uma procura por terrenos, talvez devido às condições econômicas. "Algumas pessoas optaram por passar esse período de isolamento social na região e estão pensando em se mudar de vez, em busca de uma qualidade de vida melhor. Mas como a situação economia não é das melhores, as pessoas começam pelo terreno", explicou.
 

› FONTE: RJ News


sem comentários

Deixe o seu comentário