Macaé News
Cotação
RSS

Egoísmo custa caro e Flamengo perde para o Atlético-MG em estreia no Brasileiro

Publicado em 09/08/2020 Editoria: Esporte sem comentários Comente! Imprimir


 Pouco tempo de trabalho, adaptação ao novo estilo de jogo, o estádio vazio, o adversário qualificado...Poderiam ser muitas as desculpas para a derrota do Flamengo por 1 a 0 para o Atlético-MG, no Maracanã, na rodada de estreia do Brasileiro. Nenhuma explica melhor o que foi a partida, porém, do que o egoísmo da dupla de ataque que outrora deu tantas alegrias aos rubro-negros. Além, claro, do azar de Filipe Luís, que marcou, contra, o gol do Galo.

Pela primeira vez defendendo o posto de atual campeão brasileiro, a dupla Gabigol e Bruno Henrique continuou infernizando a defesa adversária, mas sem balançar a rede. Quando tiveram chance de servir um ao outro, eles, inexplicavelmente, optaram pelo individualismo. As escolhas custaram a primeira derrota do time titular na temporada.

O Atlético, sim, teve muitos méritos, embora o Flamengo de Torrent tenha sido superior na maior parte do jogo. Algumas diferenças foram notáveis em relação ao trabalho, principalmente o posicionamento dos atletas em campo. Bruno Henrique e Gabigol atuaram ainda mais abertos pelos lados do campo, enquanto Everton Ribeiro, Arrascaeta e até Gerson revezaram para ocupam a faixa central do ataque. O que não mudou foi o DNA ofensivo. 

A pressão na saída de bola foi ainda mais intensa do que na era Jorge Jesus, e foram muitos os desarmes no campo de ataque. Mas tanta pressão teve seu lado negativo, dando espaço para contra-ataques perigoso do time de Sampaoli. Foi em um deles que, aos 23, Guilherme Arana cruzou e Filipe Luís errou o corte e marcou contra. Um a zero para o Galo.

Já o Rubro-Negro colecionou chances perdidas na etapa inicial, quase sempre por erro no passe final. Na melhor, Bruno Henrique acertou a trave em chute sem ângulo quando poderia tocar para Gabigol livre de marcação. No início do segundo tempo, a situação se inverteu e foi a vez do camisa 9 ignorar o companheiro livre.

A partir disso, o esquema tático bem montado por Sampaoli tirou praticamente todos os espaços do Rubro-Negro, que pouco ameaçou mesmo com as entradas de Pedro, Michael e Vitinho. Pelo contrário. Nathan chegou a ampliar, mas estava impedido.

Por fim, o sabor amargo da derrota não foi de todo ruim. Apesar do tropeço na primeira rodada, o trabalho de Domènec Torrent deu indícios de que pode dar muito certo.

› FONTE: Agência Brasil


sem comentários

Deixe o seu comentário