Macaé News
Cotação
RSS

Com integrante de Rio das Ostras, banda Jamz conquista público no SuperStar

Publicado em 09/05/2014 Editoria: Cultura 4 comentários Comente! Imprimir


Um dos projetos da banda Jamz é conseguir tocar no Festival de Jazz & Blues, junto com Tony Gordon

Um dos projetos da banda Jamz é conseguir tocar no Festival de Jazz & Blues, junto com Tony Gordon

Quatro jovens uni­dos pela música formaram há qua­se um ano a banda Jamz. Mas, apesar do pou­co tempo de estrada, eles já vêm trilhando caminhos que muitos músicos sonham em alcançar e, atualmente, ga­nharam repercussão em um dos mais novos programas musicais da rede Globo – o SuperStar, exibido nas noites de domingo. Em entrevista ao jornal RJNEWS, um dos integrantes da banda, Pauli­nho Moreira (guitarra), que é morador de Rio das Ostras, conta sobre a participação no programa e dos projetos junto aos seus companheiros Will Gordon (baixo e vocal), Gustavo Tibi (teclado e vocal) e Pepê Santos, na bateria.

Segundo Paulinho, tudo começou quando, assim como seus amigos, passou a par­ticipar de diversos projetos musicais no Rio de Janeiro, onde conheceu muitos músi­cos. Dentro desse circuito, os meninos fizeram shows com outros artistas como os can­tores Rafael Almeida e Tania Mara e, hoje, também acom­panham o ganhador do último The Voice Brasil, o Sam Alves. “Foi assim que começamos a fazer vários trabalhos juntos, fazendo música despretensio­samente. Mas, a vontade de mostrar nosso som, que têm influências internacionais, como Bruno Mars, Justin Timberlake, além do soul, do jazz e outros estilos, se for­taleceu e, decidimos montar uma banda que tivesse nossa cara. Daí surgiu a Jamz”, con­ta Paulinho, que também é integrante da banda Stradah, muito querida na região e, que tem como vocalista Heverton Castro, que também partici­pou da última edição do pro­grama The Voice.

Com a banda já formada e fazendo diversas apresen­tações, os meninos viram no programa SuperStar uma grande oportunidade de dar uma maior visibilidade ao trabalho da Jamz. E, come­çaram com o pé direito, pois a banda abriu o quarto dia de audições do programa, fa­zendo o telão subir com 87% dos votos e, conquistando os jurados Dinho, Fábio Jr. e Ivete Sangalo, com a músi­ca “Happy”, trilha sonora do filme “Meu malvado favorito 2”. “Foi uma experiência úni­ca e, claro, que o nervosismo esteve presente porque o programa é ao vivo. Somos uma banda jovem, com um som mais sofisticado e leve, e estamos muito felizes em conseguir essa projeção na­cional em tão pouco tempo. O carinho dos amigos e das fa­mílias foi fundamental nesse processo e, recebemos men­sagens do Brasil todo, espe­rando pela próxima apresen­tação”, declara.

Como padrinho no Su­perStar, a banda Jamz tem Dinho, vocalista do Capital Inicial. Agora, o grupo segue na fase das batalhas, onde es­tão se apresentando 24 ban­das. Se passarem por essa, os meninos vão entrar na disputa com 12 bandas. O grupo ain­da não recebeu o cronogra­ma, mas segundo Paulinho, a apresentação deve acontecer em um dos domingos de maio. “Depois da primeira apresen­tação, fomos incentivados a melhorar a dinâmica de pal­co, e acredito que o Dinho vai nos ajudar nisso e em outras coisas, pois tem vasta experi­ência. Tivemos um feedback muito bom do público e nessa fase de batalhas precisamos de voto. Então, queremos con­tinuar com esse apoio, através da nossa fan page também do Facebook, que divulguem e compartilhem com os ami­gos. Já passamos de 200 para 2.200 curtidas e isso é muito importante para a banda”, acrescenta o guitarrista, lembrando que a Jamz ficou em primeiro lugar como melhor apresentação da noite (voto do público no site do programa), segundo lugar no ranking geral e sua música no Top 3 das mais ouvidas.

Ainda de acordo com Paulinho, no momento a banda está focada no programa, mas pretende preparar um EP com quatro ou cinco músicas e, também está previsto gravação de um DVD no Rio de Janeiro. “Além disso, temos como grande influência no nosso som o Tony Gordon, pai do Will, que já tocou em várias ca­sas de jazz em São Paulo e outras cidades do país. Por isso, seria demais se tivéssemos a oportuni­dade de tocar com ele no Festival de Jazz & Blues de Rio das Ostras, que é onde vivo com minha família. Estamos tra­balhando para que isso aconteça”, completa.

 

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


4 comentários

Deixe o seu comentário

Digite as palavras abaixo: