Macaé News
Cotação
RSS

Alunos da rede estadual se destacam na Olímpiada de Matemática

Publicado em 08/05/2014 Editoria: Educação sem comentários Comente! Imprimir


Os alunos da rede estadual de ensino se destacaram na 9ª edição da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), cuja premiação aconteceu nesta quarta-feira (07/05), na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, e contou com as presenças do governador Luiz Fernando Pezão e da presidenta Dilma Rousseff.

Nos últimos anos, o número de alunos medalhistas do Estado vem aumentando expressivamente. Foram 15 contemplados na 6ª edição, realizada em 2010; 20 no ano seguinte, em 2011; 32, em 2012; e 55 na edição que aconteceu em 2013.

- Parabenizo a presidenta Dilma pela perseverança e luta em defesa de investimentos na Educação e valorização dos professores e demais profissionais da área - afirmou o governador Luiz Fernando Pezão.

A edição 2013 também premiou 13 professores da rede e 10 unidades escolares. No total, participaram da competição 18,7 milhões de alunos, um registro recorde de escolas envolvidas - com 99,35% de participação das cidades brasileiras. Foram premiados 6 mil alunos, sendo 900 medalhistas de prata e 4.600 de bronze.

- Saber Matemática nos ajuda a ter melhor capacidade para usar o conhecimento e aplicação da lógica. A maior riqueza do Brasil é o conhecimento de cada um dos brasileiros e brasileiras. É importante a valorização das escolas públicas. Para ter educação de qualidade é fundamental ter professores valorizados, capacitados e motivados. O governo federal vai disponibilizar recursos para ampliar o Impa - anunciou a presidenta Dilma Rousseff.

Estudante do Colégio Estadual Engenheiro Bernardo Saião, na Taquara, Daniel Santana Rocha, de 16 anos, participa da Olimpíada Brasileira de Matemática desde os 12 anos. Ele é um dos sete medalhistas de ouro da rede estadual de ensino na competição. O adolescente, além de concluir um mestrado no Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), acaba de ingressar no doutorado na mesma instituição. O interesse do jovem pelos números nasceu com o incentivo do pai dele, Fernando da Rocha, que é professor de Matemática e Física no Engenheiro Bernardo Saião.

- Este é meu terceiro ouro em uma olimpíada de matemática. Já venci uma competição internacional. Aprendi a gostar dos números com o apoio do meu pai. Ele me dava lições e desafios para resolver em casa - disse Daniel, que pretende atuar na área de pesquisa ao concluir o doutorado.

Orgulhoso do resultado do filho, o professor Fernando disse estar sentindo-se grato com a conquista.

- Não sei dizer se o Daniel apresentou interesse pelos números ou se foi insistência minha, mas hoje ele é brilhante. Eu sempre gostei da matemática e adoro ensinar. A fórmula deu certo - afirmou o pai.

Cinco vezes medalhista, das quais duas de prata e três de ouro- incluindo o resultado deste ano - o jovem João Pedro Gonçalves, de 18 anos, também estuda no colégio Engenheiro Alberto Saião. Para o estudante, competições deste tipo abrem portas para especialização na matemática. Ele iniciou um mestrado na IMPA.

- Quando criança um professor tinha o hábito de lançar desafios matemáticos na classe valendo nota. Estes exercícios me motivaram - explicou o jovem.

Na avaliação do diretor-geral do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), César Camacho, a participação de bons professores e a estrutura de uma escola organizada fazem toda a diferença no aprendizado da Matemática.

- A Matemática é uma disciplina considerada difícil, árida e desinteressante. Os cálculos e números estão ao alcance de qualquer pessoa. A dificuldade maior é o aprendizado sequencial. Fazer o aluno entender todas as etapas. Para isso é fundamental a participação de um professor que goste de ensinar, tenha domínio da matemática e consiga se adequar às necessidades dos alunos - disse.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário