Macaé News
Cotação
RSS

Bebianno se filia ao PSDB e deve ser candidato à prefeitura do Rio de Janeiro

Publicado em 03/11/2019 Editoria: Política sem comentários Comente! Imprimir


A CPMI das Fakes News, presidida pelo senador Angelo Coronel (PSD-BA), já está a pleno vapor. A comissão mista do Senado e da Câmara quer saber quem está por trás dos perfis falsos nas redes sociais, responsáveis por uma gigantesca onda de ataques a reputações. Para ele, fake news é crime e “os criminosos” devem ser punidos.

Um dos alvos é o “gabinete do ódio”, instalado no quarto andar do Planalto, acusado de destilar maldades contra políticos e desafetos do presidente e seus filhos. Os três funcionários públicos dessa unidade foram convocados a depor. Serão investigados também os autores dos perfis falsos que nos últimos dias serviram de artilharia na briga interna do PSL. A deputada Joice Hasselmann diz que os filhos do presidente articulam essa rede.

Os filhos
Coronel já avisou que não vai passar a mão na cabeça de nenhum dos envolvidos nos ataques. “Eu não quero saber se a pessoa é filho de presidente, se é inimigo de presidente”, disse o senador. Acusados de participação em perfis fakes, o senador Flávio e o deputado Eduardo Bolsonaro participam da CPMI.

Denúncias
A ex-líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann, levantou que os filhos do presidente usam assessores parlamentares, pagos com o dinheiro público, para alimentar esses perfis ilegais. Eis alguns que ela citou: Bolsofeios, Bolsonéas, Pavão Misterioso e Snapnaro. Este último foi descontinuado recentemente, para apagar rastros.

Deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP)

A deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP), uma das parlamentares mais respeitadas por suas posições claras no combate à corrupção, diz ter esperanças de que o STF não mude o entendimento vigente sobre a prisão em 2ª Instância, “mas todos os sinais indicam o contrário, infelizmente”. Ela ficou marcada por ter pedido o impeachment de Dilma Rousseff. Ah se todos fossem iguais a você, já dizia Tom Jobim.

Apresentador Luciano Huck foi cotado para ser candidato à Presidência da República

O apresentador Luciano Huck comparou a crise no Chile com a do Brasil em matéria de desigualdades sociais, e advertiu que os acontecimentos no país vizinho deveriam servir de alerta. O Chile e o Brasil esquecem-se das pessoas, diz ele. Em palestra no 12º Encontro de Líderes da Comunitas, realizado sexta-feira 25, Huck disse não acreditar em manifestações a curto prazo no Brasil, “mas se a vida aqui não melhorar para valer…” Ele pode ser candidato a presidente em 2022.

Os chineses estão chegando
A viagem do governador João Doria à China, em abril deste ano, já está dando frutos. Os investidores da China Railway Constrution Corporation foram escolhidos pelo Consórcio Move São Paulo (Odebrecht, Queiroz Galvão e UTC) para negociar a compra da concessão da Linha 6 do Metrô de São Paulo, que liga a Brasilândia/Freguesia do Ó ao centro da capital (Liberdade), com 15 estações, em 15 quilômetros de extensão. O trecho é conhecido como a linha das universidades, por ligar a PUC, Mackenzie e a Faap. Os chineses têm até novembro para fechar o negócio. O governo de São Paulo não tem recursos para tocar as obras. Espanhóis e americanos também disputaram a linha.

R$ 10 bilhões

O investimento requer a aplicação de R$ 10 bilhões. Por isso, João Doria e os secretários Alexandre Baldy (Transportes Metropolitanos) e Henrique Meirelles (Fazenda) estão de olho nas negociações para que essa importante linha do Metrô seja colocada à disposição dos paulistanos o mais rápido possível.

› FONTE: us


sem comentários

Deixe o seu comentário