Macaé News
Cotação
RSS

Moro pode compor chapa com Bolsonaro nas eleições de 2022

Publicado em 28/09/2019 Editoria: Geral sem comentários Comente! Imprimir


Para quem achava que o ministro da Justiça, Sergio Moro, andava fraco, desprestigiado e fritado pelo presidente Jair Bolsonaro, acaba de ter uma grande decepção. Afinal, o ministro acaba de obter uma vitória no campo pessoal no governo. Bolsonaro concordou com os argumentos de Moro e manteve no cargo o delegado Maurício Valeixo, diretor-geral da PF. Havia um movimento para que Bolsonaro demitisse o delegado, o que enfraqueceria Moro. O clima de paz entre os dois pode ser constatado quando Moro e sua mulher Rosangela visitaram Bolsonaro e a esposa Michelle, quando ele ainda convalescia no hospital. Não se faz política com o intestino. Moro ganhou este round.

Chapa com Bolsonaro

Quem acha também que Moro aproveitará a boa popularidade no governo para se contrapor a Bolsonaro em 2022 , vai quebrar a cara novamente. Moro disse à ISTOÉ que não pretende ser candidato a presidente da República e que o seu candidato é Bolsonaro. No máximo, ele pode ser vice do presidente.


Fundão eleitoral
Quando a Câmara parece que vai tomar jeito, lá vêm os deputados e aprovam mudanças na legislação eleitoral, o chamado fundão eleitoral, pra lá de indecorosas, imorais e vergonhosas. Com a complacência de Rodrigo Maia, presidente da Câmara, os deputados aprovaram, na noite da quarta-feira 18, alterações permitindo que o fundo eleitoral, bancado por recursos públicos, possa pagar uma série de despesas indecentes. Aprovaram que o nosso dinheiro dos impostos possa pagar a compra de imóveis, como mansões, e móveis, como helicópteros, aviões e até carrões de luxo. Além do mais, o projeto prevê que os recursos podem ser aumentados de R$ 1,7 bi para R$ 3,7 bi. Pior: tudo para servir aos que mamam nas tetas dos partidos, muitos deles notadamente políticos desonestos.

Por que é difícil emplacar a CPI da Lava Toga?

É difícil emplacar a CPI porque ela ataca justamente uma casta de privilegiados que nunca foi sequer ameaçada na história do Brasil.

Quem não quer que o Senado investigue os desmandos de ministros do STF?
Temos um conluio, um acordão, que envolve o Executivo, interesses do presidente Bolsonaro, dos ministros do Supremo Dias Toffoli, Gilmar Mendes e outros, e dos presidentes das Casas Legislativas. Todos unidos no sentido de evitar uma apuração isenta.

O senhor acredita que a CPI pode levar ministros do STF ao impeachment?
Sim, é possível se chegar ao impeachment de ministros, desde que se consiga produzir, ao longo da CPI, provas consistentes.

Bolsonaro come poeira

Para tirar o mérito de Doria, Bolsonaro disse que o investimento da Toyota tinha o dedo do governo federal. Escorregou feio. O projeto da montadora que contou com a ajuda federal está sendo desenvolvido em Indaiatuba na produção de um motor híbrido. Uma coisa nada tem a ver com a outra. Doria cutucou Bolsonaro: as eleições serão só daqui a 3 anos.

Fonte: Último Segundo

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário