Macaé News
Cotação
RSS

Rio das Ostras é e apontada como uma das cidades com maior crescimento do país

Publicado em 02/05/2014 Editoria: Geral sem comentários Comente! Imprimir


Jorge Ronald

Jorge Ronald

O Brasil sempre foi considerado um dos melhores países em condições naturais pra se morar, como no caso a temperatura, e também a localização, apesar de estarmos no sul do planeta e em uma posição estratégica. No mês em que Rio das Ostras comemorou mais um ano de administração politico administrativa, a revista EXAME, destacou em suas páginas 56 e 57 na edição 1064, o crescimento da cidade.  Rio das Ostras já havia sido citada em edição anterior da revista, publicada em agosto de 2012.
 
Nas entrelinhas da matéria desta edição, a reportagem considerou os atrativos e as oportunidades como a mola mestra para o desenvolvimento econômico local. Na pesquisa sobre as 100 melhores cidades para se investir em negócios, Rio das Ostras despontou a frente de cidades como São Paulo e Balneário Camboriú, em Santa Catarina, ficando em 16º lugar. A reportagem ainda foi enfática ao comparar Rio das ostras, afirmando que ela não deixa a desejar quando o assunto é investimento, qualidade de vida, educação, trabalho, renda e bem estar social. A pesquisa foi feita pela empresa de consultoria Urban Systems. 
 
Na revista publicada em 2012, a cidade já foi apontada por estar entre os maiores mercados de consumos do país. Em média, 30 novas pessoas chegavam diariamente ao município e, segundo as pesquisas do IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a expectativa era de que nos próximos quatro anos, o número de habitantes chegue a dobrar. Ainda de acordo com a reportagem, Rio das Ostras era no interior do Estado do Rio de Janeiro o local onde estava previsto o maior percentual de crescimento até o ano de 2020. Aprevisão de aumento era de 20% ao ano, com um mercado de consumo estimado em R$1,9 bilhão. 
 
Essa boa expectativa foi concretizada e se perdura até os dias atuais. Desta vez, foi logo após o município receber o Prêmio Prefeito Empreendedor, do Sebrae, por seus projetos de fomento ao emprego e geração de renda. A pesquisa nacional da Revista EXAME apontou a cidade como a melhor em Desenvolvimento Social do país, entre aquelas com mais de 100 mil habitantes. 
 
Até 1992, quando se emancipou, Rio das Ostras era apenas uma vila da periferia do município de Casimiro de Abreu. Ao longo destes 22 anos, passou de 11 para 126 mil moradores, crescimento que tinha tudo para piorar a qualidade de vida na cidade. Mas segundo a revista, não foi isso que aconteceu. No período, a cidade deixou de ser considerada a prima pobre de Macaé e de Búzios para se transformar numa das cidades brasileiras que mais avançaram em indicadores econômicos e sociais.
 
A reportagem da revista destacou também, que a cidade hoje se beneficia das medidas que foram iniciadas no final da década de 90, pensando no crescimento sustentável e na independência da receita dos royalties do petróleo. Graças a esses e outros investimentos públicos, a qualidade de vida, que de acordo com a publicação, teria tudo para piorar com o grande aumento populacional, mostrou resultado contrário.
 
Na avaliação do prefeito de Rio das Ostras Sabino, o grande destaque da cidade se deu em função do seu planejamento. “Quando propusemos nosso Plano Diretor, buscamos equilibrar nossa vocação turística com a atração de novos negócios, criação de empregos, aumento dos salários e qualificação dos nossos moradores. Estamos no momento de resgatar esse desenvolvimento, priorizando a Educação, Saúde e os projetos sociais. Ainda há muito trabalho pela frente”, comentou sobre em relação à matéria publicada na revista. 
 
O plano diretor levou à escolha de uma localização para o polo empresarial distante das atraentes praias e lagoas de Rio das Ostras. “Não queríamos criar conflitos com o turismo, com base nas belezas naturais da região. A ideia era atrair negócios que pudessem gerar empregos e novas receitas”, relata Sabino. Nos últimos cinco anos, o número de empresas registradas na cidade passou de 2.800 para 7 mil, a maioria de pequeno porte e do setor de serviços. A prefeitura busca agora outro terreno para instalar o segundo polo. Há mais de 200 empresas interessadas em se estabelecer no município ou aumentar a operação existente.
O salário médio dos trabalhadores locais também aumentou, segundo mostra a revista. O acréscimo de 81%, segundo índice da Firjan, superou a média nacional, passando de R$ 902 para R$ 1.635.
 
A pesquisa apontou também que o abandono escolar é quase zero em Rio das Ostras, a distorção de idade dos alunos em relação à série que deveriam cursar é baixa e a maioria dos professores do ciclo básico tem formação superior. A nota dos alunos também está acima da média brasileira, ou seja, 4,9, ante 4,05 no Ideb, o índice de desempenho no ensino básico. Esse tipo de evolução foi, em grande parte, resultado do investimento público. Em 1997, Rio das Ostras tinha cinco escolas municipais, e atualmente tem 50 unidades de ensino.
 
Na observação do prefeito, a carência de professores de Ensino Fundamental foi amenizada pela criação de um instituto municipal especializado em magistério. Os alunos do instituto têm aulas em período integral durante os quatro anos de curso. “Percebemos que os professores chegavam mal preparados e decidimos criar uma escola própria”, afirma. 
 
A revista ainda ouviu o especialista Guilherme Mercês, da Firjan, que confirma que a cidade faz bom uso da sua receita de royalties. “Esse dinheiro só se transforma em melhores serviços públicos se for bem aplicado”, descreve Mercês, que ainda diz que a cidade tem “muito boa saúde financeira” e que vem buscando reduzir a dependência dos repasses da exploração de petróleo.  

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário