Macaé News
Cotação
RSS

Sistema contribui para diagnóstico nutricional da população

Publicado em 17/06/2019 Editoria: Saúde sem comentários Comente! Imprimir


As informações são revertidas em ações de promoção da saúde, prevenção e tratamento de agravos nutricionais”

As informações são revertidas em ações de promoção da saúde, prevenção e tratamento de agravos nutricionais”

Com o objetivo de realizar diagnóstico nutricional descritivo e analítico da população, Macaé conta com o Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan), disponibilizado pelo Ministério da Saúde. A ferramenta auxilia no planejamento de políticas e ações no setor alimentar e nutricional por meio de coleta de informações nas unidades de saúde da rede pública. Um dos locais é a Estratégia Saúde da Família (ESF) Campo D´Oeste onde a iniciativa integra uma ação multidisciplinar destinada a gestantes, composta por palestra educativa na sala de espera, avaliação do estado nutricional e consumo alimentar.

Com 38 semanas de gestação, Taís Alana Oliveira apresentou glicose alta durante a gravidez. "Além do pré-natal, que foi fundamental durante toda minha gestação, ações do Sisvan me ajudou a regularizar minha glicose por meio da alimentação. As informações passadas contribuem para que nós, gestantes, tenhamos uma visão mais esclarecida sobre a forma correta de se alimentar não só na gravidez, mas, também, durante toda a vida", destacou a mãe do pequeno Jonas, que nasce ainda esse mês.

De acordo com gestora e nutricionista da Divisão da Área Técnica de Alimentação e Nutrição (Catan), Carolina Pires, o Sisvan oferece uma ação contínua em diversas unidades de saúde da rede municipal, além de repartições públicas, escolas e até empresas, quando essas solicitam o  serviço de prevenção oferecido pela Prefeitura de Macaé. “Esses dados são devolvidos para a Catan, posteriormente, alimentam o sistema do Governo Federal. As informações são revertidas em ações de promoção da saúde, prevenção e tratamento de agravos nutricionais”, informa Carolina Pires.

A nutricionista ressalta a importância do mapeamento dos indicadores para o desenvolvimento de ações específicas, como, por exemplo, os de 2018 que apontaram em que em um universo de sete mil pessoas analisadas, houve o sobrepeso e a obesidade em todas as faixas etárias, havendo maior expressão em crianças  de zero a cinco anos de idade e em idosos, cuja  taxa de sobrepeso é de 60%. “Os pareceres divulgados são parciais do ano de 2018, uma vez que ainda estão sendo consolidados pelo sistema do Governo Federal”, conclui a nutricionista.

› FONTE: Secom Macaé


sem comentários

Deixe o seu comentário