Macaé News
Cotação
RSS

Educação de Macaé é destaque em audiência pública da Base Curricular

Publicado em 30/05/2019 Editoria: Educação sem comentários Comente! Imprimir


Haverá ainda a quarta audiência, no Rio de Janeiro, até que seja normatizada uma referência curricular nas escolas de todo o estado

Haverá ainda a quarta audiência, no Rio de Janeiro, até que seja normatizada uma referência curricular nas escolas de todo o estado

A rede pública municipal de ensino de Macaé está de parabéns porque não ficou à espera das discussões sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e saiu na frente elaborando o currículo parcial, com garantias dos direitos dos alunos, muito antes do prazo previsto na lei. Foi isto que ouviram, professores e gestores da Educação municipal, dos conselheiros que realizaram a terceira audiência pública sobre “Currículo em Debate”, no auditório Claudio Ulpiano, nesta quarta-feira (29). Haverá ainda a quarta audiência, no Rio de Janeiro, até que seja normatizada uma referência curricular nas escolas de todo o estado.

O secretário Guto Garcia compôs a mesa de abertura do evento e falou do diagnóstico positivo da rede: “Este evento é muito importante porque o currículo é a base da Educação para formarmos cidadãos com ensino público de qualidade. Precisamos mesmo compartilhar ideias e experiências e a Educação de Macaé está junto neste processo democrático desde o início, estudando a Base, promovendo encontros de discussões e construindo o currículo a partir da troca de experiências para resultados significativos e permanentes. Educação se faz com trabalho e gestão democrática”, enfatizou.

Em Macaé, as escolas já trabalham o novo currículo na Educação Infantil que será escrito de forma definitiva no segundo semestre deste ano, segundo a superintendente da Educação Infantil, Mariana Duarte. A superintendente do Ensino Fundamental e do Ensino Médio do município, Balade Ayala, destacou os estudos que fizeram da BNCC, assim que foi homologada, em dezembro de 2017, e os 10 encontros realizados pelas equipes da rede para tratar as competências da Base.

“A Base tem natureza interdisciplinar e integradora. Procuramos atender às unidades e/ou eixos entendendo que se comunicam, que não são fragmentados, para discutirmos, de forma compartilhada, a proposta das grandes áreas apresentadas pela BNCC, que não aponta disciplinas”, destacou Balade.

O currículo preliminar da rede de Macaé valoriza o protagonismo dos alunos, que ganharam mais participação no processo de aprendizagem, a metodologia é aplicada a partir de projetos e através dos campos das experiências que levam em conta os direitos da aprendizagem dos alunos, como destacou Mariana Duarte. Na Educação Fundamental, o município também registrou grandes avanços valorizando as habilidades e competências das crianças em sala de aula e promovendo encontros que proporcionam diálogos entre os profissionais dos diferentes anos.

A presidente do Conselho Estadual de Educação (CEE-RJ), Malvina Tuttman, explicou que, após a realização das audiências públicas no estado, será elaborada a “Proposta Preliminar do Documento Curricular do Estado do Rio de Janeiro” e as “Contribuições Críticas de Especialistas” em amplo debate democrático mobilizando instituições e cidadãos dos 92 municípios para consolidar as ideias da Base para a Educação Infantil, o Ensino Fundamental e parte do Ensino Médio.

“A ideia é fazer um currículo com as características do estado e de cada rede municipal dando voz às experiências significativas que cada sistema tem dentro do seu projeto político-pedagógico. Por exemplo, aqui é importante destacar o que Macaé tem de diferente que caracteriza o município”, observou Malvina, que foi reitora da Universidade do Rio de Janeiro (UniRio).

O evento é promovido pelo CEE/RJ em parceria com a Federação de Estudantes do Estado do Rio de Janeiro (FEERJ), Secretaria Estadual de Educação (Seeduc) e a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), com apoio da Prefeitura de Macaé, através da Secretaria Municipal de Educação, que, desde o início, participa, ativamente, da mobilização em torno da Base.

Prevista na Constituição, na Lei de Diretrizes e Bases e no Plano Nacional de Educação, a BNCC é referencial obrigatório para os currículos das redes públicas e particulares e para a formação dos professores. De acordo com a resolução normativa do CNE, ela deve passar a valer nas salas de aula a partir de 2020 (etapas da Educação Infantil e Ensino Fundamental) e 

› FONTE: Secom Macaé


sem comentários

Deixe o seu comentário