Macaé News
Cotação
RSS

Macaé celebra o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes com Fórum

Publicado em 16/05/2019 Editoria: Geral sem comentários Comente! Imprimir


O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes (18 de maio), será celebrado em Macaé com ações de conscientização e alerta do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDDCA) – a realização do I Fórum Municipal de Enfrentamento a Violência Sexual Contra Criança e Adolescente, no salão nobre da Câmara Municipal, nesta sexta-feira, 17 e intervenções em 12 escolas municipais de educação infantil em parceria da Semed e do Conselho Tutelar.

Com isso, o promotor do evento, CMDDCA busca a reflexão sobre o tema, que tem registrado dados alarmantes e assusta pelo número de casos de violência sexual contra crianças e adolescentes no país.

Durante a realização do I Fórum os destaques ficam por conta da palestra ministrada pela doutoranda em Serviço Social, Priscila Castro, com o título “Rede de Proteção Integral: alinhando concepções conceituais sobre violência sexual contra crianças e adolescentes”, e da apresentação da dança Bicho Urbano, do grupo Coletivo Flores, que integra o quadro profissional do CIEMH2 Núcleo Cultural, Ponto de Cultura de Macaé/RJ. Além disso, haverá uma Mesa Redonda de reflexões sobre a violência sexual contra crianças e adolescentes de Macaé.

Como surgiu o Dia Nacional Contra o Abuso e Exploração Sexual Infantil - A escolha desta data é em memória do “Caso Araceli”, um crime que chocou o país na época. Araceli Crespo era uma menina de apenas 8 anos de idade, que foi violada e violentamente assassinada em 18 de maio de 1973. Este crime, apesar de hediondo, ainda segue impune. O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes foi instituído oficialmente no país através da lei nº 9.970, de 17 de maio de 2000.

O Bicho Urbano – Uma conversa coreográfica que traz para a cena o caos da experiência vivida por adultos, na infância. Entre o abuso e a poesia de ser criança, cria-se um universo de lembranças e informações trazendo uma discussão estética conflituosa entre a realidade e as lembranças. É um passeio por valores morais a serem observados pelo corpo “arte-político” e panfletário em cena. A licença poética de fazer dança como quem faz cinema permite ao Coletivo Flores propor um passeio coreográfico em forma de conto para abordar o tema, uma narrativa da infância de adultos que passaram por violência e convivem com os fantasmas causados por traumas que ainda norteiam suas vidas. 

Veja a programação do I Fórum Municipal de Enfrentamento a Violência Sexual Contra Criança e Adolescente:

9h – Abertura.

9h30 - Apresentação Artística do Coletivo Flores com a dança Bicho Urbano.

10h – Palestra "Rede de Proteção Integral: Alinhando concepções conceituais sobre violência sexual contra crianças e adolescentes", com Priscila Castro.

11h - Mesa Redonda: Reflexões sobre a Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes de Macaé (PETI, CREAS, CT, CMDDCA, Vigilância em Saúde) e encerramento com o presidente do CMDDCA.

Jornalista Lourdes Acosta

› FONTE: Ascom


sem comentários

Deixe o seu comentário