Macaé News
Cotação
RSS

Educação capacita 70 professores de libras

Publicado em 22/03/2019 Editoria: Educação sem comentários Comente! Imprimir


Serão cinco encontros presenciais, às sextas-feiras, das 8h ao meio-dia, totalizando 20 horas

Serão cinco encontros presenciais, às sextas-feiras, das 8h ao meio-dia, totalizando 20 horas

Dando continuidade ao trabalho de Educação Inclusiva que realiza nas escolas municipais, a Secretaria Municipal de Educação, deu início, nesta sexta-feira (22), ao curso gratuito de conversação básica em Libras (Língua Brasileira de Sinais), no Auditório Claudio Ulpiano, na Cidade Universitária. O curso será ministrado até o dia 14 de junho, através do Centro de Formação Carolina Garcia (CFCG), da Secretaria Municipal Adjunta de Qualificação Profissional e do Ensino Médio, com 70 profissionais da Educação e cidadãos interessados em se comunicar com os surdos.

Serão cinco encontros presenciais, às sextas-feiras, das 8h ao meio-dia, totalizando 20 horas, sendo os próximos marcados para os dias 12 de abril, 17 e 31 de maio e 14 de junho, com a pedagoga e pós-graduada em Libras, Lázara Amaral Bastos Pimentel. Ela disse que Libras é, hoje, a segunda língua oficial do país – a primeira é a Língua Portuguesa e a terceira, o Tupi-Guarani.

“Daí a necessidade de os educadores saberem praticar a Libras com surdos, além de que há carência de intérpretes de Libras no Brasil para atender a demanda da comunidade surda, tanto no trabalho direto com os surdos quanto com os ouvintes que precisam aprender a se comunicar com eles em Libras”, observou a professora.

O curso é destinado aos auxiliares de serviços escolares, professores do 1º ao 9º anos do Ensino Fundamental, professores orientadores, diretores gerais e adjuntos e demais cidadãos do município. Os alunos participam de atividades práticas de conversação em Libras e a ideia é que saiam do curso se comunicando com os surdos.

“Este curso é muito importante.Trabalho no Programa Bolsa-Família onde há a necessidade de saber Libras porque atendemos públicos variados todos os dias”, disse Lívia Aguiar. Professora da rede, Margot Rejane Kiellers, também considera fundamental aprender Libras. “Trabalho em sala de recursos e preciso estar preparada para trabalhar com alunos surdos”, destacou.

A professora do curso explicou que a terminologia usada hoje é surdo e não, surdo-mudo, porque, segundo acrescentou, “todo surdo emite som, só não fala porque não ouve, além de que, há diferenças no tipo de surdez que pode ser severa, moderada, parcial”. Ela disse que, atualmente, há vídeos, dicionário de Libras, cursos de formação como este e até aplicativo para celulares sobre Libras, o que facilita o aprendizado.

O CFCG oferece, gratuitamente, diversos cursos de formação continuada. As inscrições são online e os cursos de curta duração. Os interessados em saber a programação deste primeiro semestre devem acessar o site: https://formacaomacae.wixsite.com/formacao.

Conheça um pouco de Libras

Libras é a sigla de Língua Brasileira de Sinais que, trocando em miúdos, significa o conjunto dos sinais, ou gestos, utilizado por surdos para a comunicação entre eles e com as outras pessoas, chamadas de ouvintes. É usada no mundo inteiro, mas cada país tem a sua própria linguagem de sinais.

No Brasil, a Libras é regida pela Lei 10.436/2002, como a língua oficial das pessoas surdas. A função do intérprete ainda está em crescimento no país, mas já foi reconhecida e regulamentada pela lei 12.319/2010. O Conselho Nacional de Educação determina que todos os alunos surdos devem ser matriculados, obrigatoriamente, nas escolas de ensino regular, o que é feito na rede municipal de Macaé.

Setembro azul marca o mês da conscientização da luta pelos direitos da Comunidade Surda Brasileira e o Dia Nacional do Surdo é 26 de setembro. Mais informações sobre Libras e a comunidade surda podem ser acessadas no site www.libras.com.br.

› FONTE: Secom Macaé


sem comentários

Deixe o seu comentário