Macaé News
Cotação
RSS

Prefeitos cassados pela Ditadura recebem homenagem da Câmara e da Comissão da Verdade

Publicado em 18/04/2014 Editoria: Geral sem comentários Comente! Imprimir


Os prefeitos de Petrópolis cassados pela Ditadura Militar, Rubens de Castro Bomtempo, Paulo Gratacós e Flávio Castrioto, foram homenageados em audiência na Câmara Municipal nesta quarta-feira (16/4), mês em que o golpe militar completa 50 anos. O presidente da Comissão da Verdade do Rio, Wadih Damous, participou do evento e os homenageados foram representados por filhos e netos, entre eles o prefeito Rubens Bomtempo. Em maio, a Câmara Municipal realizará sessão solene para a devolução simbólica dos mandatos dos três prefeitos cassados.

O prefeito Rubens Bomtempo e a irmã, Lúcia, representaram o pai, Rubens de Castro Bomtempo. “Eu agradeço a esta Casa que teve a responsabilidade de possibilitar essa reflexão. Para mim é muita emoção. Que esse ato seja em homenagem aos que perderam suas vidas, aos que foram perseguidos pela Ditadura Militar. Quando a sociedade se propõe a viver a democracia em alta intensidade, tem que experimentar esse resgate de memória e de justiça. Qualquer sociedade que queira avançar tem que se apropriar de sua história. Temos que aprofundar cada vez mais essa democracia”, disse o prefeito.

O presidente da Comissão da Verdade do Rio, Wadih Damous, elogiou a atuação do prefeito Rubens Bomtempo em relação à desapropriação da Casa da Morte – imóvel na Rua Arthur Barbosa, no Caxambu, utilizado pela Ditadura Militar no início dos anos 1970 para torturar até a morte militantes contrários ao regime. A Prefeitura já conseguiu R$ 600 mil, por meio de emenda parlamentar da deputada federal Jandira Feghali, para a criação do memorial no local. O município agora busca verbas federais para a desapropriação dos dois imóveis que formam o conjunto da Casa da Morte.

“O que a Ditadura fez foi colocar toda essa sujeira embaixo do tapete. Nós estamos levantando esse tapete. A democracia é uma conquista cotidiana, uma flor que se rega todo dia. Esses prefeitos foram violentados em sua atividade política e tiveram seus mandatos cassados à revelia da vontade popular. Qualquer homenagem que se faz a eles é pouca”, disse Damous. “Quero parabenizar a atuação do prefeito Rubens Bomtempo e do procurador Marcus São Thiago na desapropriação da Casa da Morte, o primeiro passo para transformá-la na Casa da Vida. Para isso, temos que contar com a colaboração do governo federal”.

Representando Flávio Castrioto, estavam a filha Elisabete Castrioto Botelho e os netos Flávio Henrique, Cristiana e o juiz Afonso Henrique Castrioto Botelho. Já Paulo Gratacós, que está doente e passa por uma cirurgia, foi representado pelo filho, Flávio Gratacós.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário