Macaé News
Cotação
RSS

Treinamento capacita agentes para manejo e controle de escorpiões em Macaé

Publicado em 25/02/2019 Editoria: Saúde sem comentários Comente! Imprimir


O objetivo é promover ações de prevenção, a partir das notificações de moradores

O objetivo é promover ações de prevenção, a partir das notificações de moradores

Os agentes de combate a endemias, da Coordenadoria Especial de Promoção da Saúde dos Animais e Controle de Zoonoses (CEPSACZ), foram capacitados nesta segunda-feira (25), sobre manejo e controle de escorpiões. O objetivo é promover ações de prevenção, a partir das notificações de moradores.

De acordo com o coordenador da CEPSACZ, Rafael Amorim, após o treinamento, os agentes estarão indo nas residências para realizar levantamentos e, ainda, captura dos animais. Os dados vão orientar as ações da Secretaria de Saúde no combate e prevenção contra escorpiões.

"Com a identificação das áreas, o município irá realizar ações de controle. Os agentes irão fazer a captura e iremos encaminhar as espécies para institutos de pesquisa", frisou Rafael.

O biólogo Gilberto Rosindo, que ministrou o treinamento, alertou sobre a importância de manter terrenos limpos, livres de entulhos e, também, fechar os locais de armazenagem de armazenagem de lixo (latões, lixeiras, sacos, entre outros). "Não temos como erradicar, mas podemos reduzir em parâmetros que não são perigosos para as pessoas. É preciso denunciar para que o poder público possa fazer o mapeamento mais preciso desse animal", disse o biólogo.

Os animais são mais ativos durante meses quentes, com hábitos noturnos. A picada de escorpião faz com que a pessoa sinta uma dor intensa e imediata no local e é acompanhada por vermelhidão, muitas vezes sem evolução. Em crianças menores de 12 anos é mais perigoso devido à pouca massa corporal e pessoas idosas com baixa imunidade. O alerta é para que, em casos de picada, as pessoas procurem a emergência imediatamente.

Segundo o biólogo, os escorpiões se multiplicam em temperaturas mais altas. No Brasil, são quatro espécies e, na região, as predominantes são: Tityus serrulatus e Tityus bahiensis.

Para informações e solicitações, o contato com o CCZ pode ser feito por meio de ligação gratuita para o 0800-022-6461.

› FONTE: Secom Macaé


sem comentários

Deixe o seu comentário