Macaé News
Cotação
RSS

Médicos de UTIs são certificados em cursos da Educação e Saúde

Publicado em 12/09/2018 Editoria: Saúde sem comentários Comente! Imprimir


A entrega dos certificados foi feita no auditório do Centro de Estudos do Hospital Público Municipal (HPM)

A entrega dos certificados foi feita no auditório do Centro de Estudos do Hospital Público Municipal (HPM)

Os médicos alunos e os professores dos cursos de capacitação para o atendimento em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), oferecidos em parceria das secretarias municipais de Ensino Superior/Educação e de Saúde, foram certificados, nesta quarta-feira (12). A entrega dos certificados foi feita no auditório do Centro de Estudos do Hospital Público Municipal (HPM).

Com a realização dos cursos, o município está apto a credenciar, junto ao Sistema Único de Saúde (SUS), os leitos que foram ampliados na rede pública para internação nas UTIs do HPM e do Hospital São João Batista, parceiros na ação. A capacitação dos médicos foi realizada por meio de parceria do Instituto de Administração de Políticas Públicas (IAPP), da Superintendência Acadêmica da Secretaria Adjunta Municipal de Ensino Superior, vinculada à Secretaria de Educação, e a Secretaria de Saúde.

Os professores dos cursos, médico cardiologista Joel Tavares Passos, que tem experiência em Medicina Intensiva, e a neurocirurgiã e vice-coordenadora do curso de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ-Macaé), Laila Zelkcowicz Ertler, também foram certificados como reconhecimento ao trabalho voluntário desempenhado com cuidado e dedicação.

"Esta formação é relevante para o município e a população que terá melhor atendimento. Foi um trabalho de desafio para toda a equipe e o resultado é transformado em qualidade de vida", destacou o secretário de Ensino Superior, Márcio Magini.

O professor Joel disse que ter participado dos cursos o deixou feliz. "A educação é um dos maiores legados da sociedade e, dirigida à área da saúde, acaba somando o processo de formação continuada com a qualidade de vida, através do melhor atendimento à população. Todos nós que participamos destes cursos saímos diferentes. Estou muito feliz de estar aqui", declarou.

A professora Laila falou sobre a responsabilidade do trabalho conjunto. "Fomos responsáveis por passar conhecimentos para os médicos que já têm muito conhecimento e conteúdo. Isto é o mais importante porque aprendemos juntos o tempo todo para uma saúde melhor no município. Quanto mais cursos como este melhor para todos nós", avaliou.

A assessora de Planejamento da Secretaria Municipal Adjunta de Alta e Média Complexidade, Isabela Catharino, disse que novas capacitações serão realizadas em 2019. "A Secretaria de Ensino Superior garantiu a realização dos cursos sem ônus para o município e com uma equipe muito competente, como todos os envolvidos neste trabalho. Novas capacitações já estão sendo pensadas para o próximo ano", disse.

Formada em Medicina há apenas um ano na UFRJ-campus Macaé, na Cidade Universitária, Raiane Fonseca Silva Herdy, aluna de Clínica Médica em cardiologia, não perdeu um curso e falou da sua experiência. "Fiz todos os cursos e gostei bastante. Tanto que já espero que outros venham. Muito importante esta formação para melhorar a nossa capacidade de atuar para salvar vidas".

A superintendente Acadêmica da Ensino Superior, Débora Lacerda, vê no resultado do trabalho missão cumprida."Ampliar o credenciamento de novos leitos para as UTIs do município e contribuir para a melhor qualidade de vida de nossos munícipes é uma missão indispensável à Educação e um momento muito importante para a Cidade Universitária. A equipe da Acadêmica sempre em prol de uma Macaé digna e justa. Este é o nosso dever enquanto responsáveis pela Educação. Estes cursos dignificam o nosso trabalho", concluiu a superintendente.

Como foram os cursos - Os cursos começaram em abril, divididos por módulos, com aulas teóricas e práticas, e houve até robôs manequins simulando o atendimento intensivo a um paciente internado numa UTI. Também houve exibição de vídeos mostrando o tratamento e as técnicas adequadas para salvar vidas, a fim de que os médicos intensivistas saibam como agir e no tempo certo respeitando as condições do paciente. Cada curso contou com módulo de oito horas/aula por dia e habilitou cerca de 25 médicos.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário