Macaé News
Cotação
RSS

Testes rápidos para dengue e zika possibilitam tratamento adequado

Publicado em 15/08/2018 Editoria: Saúde sem comentários Comente! Imprimir


Este ano, o município já realizou 1,5 mil testes rápidos para dengue, chicungunha e zika

Este ano, o município já realizou 1,5 mil testes rápidos para dengue, chicungunha e zika

Os testes rápidos para dengue, chicungunha e zika são oferecidos, em Macaé, no Hospital Público Municipal (HPM) e, também, por meio de visitas domiciliares da equipe de Vigilância Epidemiológica para pacientes com suspeitas das doenças. A ideia é acelerar a detecção dos casos e dar início mais rápido aos tratamentos. O material fornece resultado em até 10 minutos, utilizando pequena quantidade de amostra sanguínea dos pacientes, além de dispensar estrutura laboratorial para sua realização.

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Liciane Furtado Cardoso, destaca que a oferta do teste rápido é fundamental para o diagnóstico correto e, assim, realizar o tratamento adequado. "Além do HPM realizar o teste rápido para pacientes com os sintomas dessas doenças, a equipe, após notificação de outras unidades de saúde, visita esses pacientes e faz o procedimento", explica.

Este ano, o município já realizou 1,5 mil testes rápidos para dengue, chicungunha e zika. Foram identificados 41 casos de chicungunha, 38 de dengue e três de zika. Nas 70 visitas domiciliares foram confirmados 13 casos de chicungunha, cinco de dengue e de zika não houve registro. Os testes rápidos  também identificam quem já teve as doenças. "Mesmo com os resultados dos testes rápidos, a amostra sanguínea é encaminhada para o Laboratório Central de Saúde Pública do Rio de Janeiro (Lacen)", frisa Liciane.

“Importantes para a correta detecção das doenças e para o tratamento rápido e adequado, os testes rápidos também têm papel relevante no controle do avanço das arboviroses (doenças causadas pelo vírus da dengue , chicungunha e zika)  já que, com ele, é possível mapear com maior velocidade, os números de casos em cada local”, afirma a coordenadora.

Os sintomas são similares das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti: febre alta, dores no corpo e manchas vermelhas com coceira intensa. O que diferencia a chicungunha é geralmente uma dor forte nas articulações que dificulta até atividades rotineiras, como escovar os dentes.

Bloqueio - Após a visita da equipe de Vigilância Epidemiológica, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) realiza o bloqueio de transmissão na residência do paciente que teve a doença confirmada. A ideia é eliminar o mosquito adulto com a aplicação de inseticida. Os serviços também são realizados no bairro onde foi identificado o caso. Outra ação é a distribuição de repelentes, em parceria com os agentes da Estratégia Saúde da Família.

› FONTE: SECOM Macaé


sem comentários

Deixe o seu comentário