Macaé News
Cotação
RSS

Pescado da agricultura familiar fará parte da merenda escolar

Publicado em 07/08/2018 Editoria: Economia sem comentários Comente! Imprimir


A meta é reforçar a alimentação mais saudável e contribuir com o desenvolvimento dos alunos

A meta é reforçar a alimentação mais saudável e contribuir com o desenvolvimento dos alunos

O pescado da agricultura familiar fará parte do cardápio da merenda escolar até o final deste mês. O objetivo é priorizar a inclusão de alimentos frescos e saudáveis. Para a inserção, profissionais da Escola Municipal de Educação Infantil Professora Marli Vasconcelos Lemos (Novo Botafogo), nutricionistas da Secretaria de Educação e a titular da pasta, Leila Clemente, participaram, nesta segunda-feira (6), da análise sensorial do filé de pescada ao molho de tomate. A aprovação foi unânime.

A inclusão do alimento foi elogiada pela garotada na faixa de 2 a 5 anos. Laura Fernandes dos Santos, Lucas Baldez, Rebecca Rodrigues dos Santos, Gabriel Almeida dos Santos e Tatiane Miranda de Azevedo experimentaram o peixe. "Comi tudinho. Uma delícia!", relatou Tatiane, mostrando o prato.

A alta aceitação dos alunos e profissionais se deve à qualidade do produto, que é fresco, não tem espinha, não apresenta odor forte e tem cor clara. Para a secretária de Educação, Leila Clemente, a análise sensorial é essencial para a inserção de qualquer novo sabor. "Saber como é a aceitabilidade do produto na escola é muito importante. A meta é reforçar a alimentação mais saudável e contribuir com o desenvolvimento dos alunos", ressaltou.

O pescado contará com a atuação de 14 aquicultores familiares. A iniciativa, segundo a coordenadora de Nutrição, Dina Freitas, contribui com o desenvolvimento físico e intelectual dos estudantes. "Registramos a aceitação dos auxiliares de serviços escolares, professores, diretores, nutricionistas, fiscais da merenda, representantes da educação e sobretudo dos estudantes. Eles analisaram as características do peixe, aspecto e odor. Estamos valorizando a cultura local, permitindo a preparação de merendas saudáveis sem esquecer da segurança alimentar", explica.

Com 444 alunos na faixa de 2 a 5 anos, a Escola Municipal de Educação Infantil Marli Vasconcelos Lemos foi a primeira a experimentar o pescado da agricultura familiar. De acordo com a diretora, Cláudia Márcia Tomaz, a valorização da alimentação saudável faz parte do projeto político pedagógico "Ações que mudam o mundo".

"O pescado é um dos destaques das atividades. Cada professor incentiva hábitos alimentares melhores em trabalhos em sala de aula e produções coletivas no refeitório", lembrou.

Nutrientes do peixe garantem benefícios à saúde infantil

Macaé prioriza a inclusão de alimentos frescos na merenda escolar e segue a determinação da Lei 11.947/2009, que prevê a aplicação de 30% dos recursos da merenda escolar, provenientes do Governo Federal, na compra de produtos da agricultura familiar. O município foi um dos pioneiros na região a seguir a legislação federal com a finalidade de contribuir para aprendizagem e rendimento escolar.

A inclusão do pescado na idade escolar proporciona melhor desempenho escolar, por conter nutrientes que aumentam a concentração e a disposição. O ômega-3 presente nos peixes contribui para o desenvolvimento do sistema nervoso central, para a diminuição de riscos de doenças do coração, de pressão arterial e colesterol.

A rede municipal oferece diariamente café da manhã (desjejum), almoço, lanche da tarde e jantar para os estudantes do turno da noite. O cardápio é diferenciado para alunos que apresentam patologias como intolerância à lactose, glúten e diabetes. Macaé cumpre a determinação do Plano Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

› FONTE: SECOM Macaé


sem comentários

Deixe o seu comentário