Macaé News
Cotação
RSS

Novas sedes da Casa da Criança e Cras Norte serão inauguradas em Rio das Ostras

Publicado em 04/04/2014 Editoria: Educação 1 comentário Comente! Imprimir


Na nova sede da Casa da Criança do Âncora, o número de crianças assistidas passará de 35 para 85

Na nova sede da Casa da Criança do Âncora, o número de crianças assistidas passará de 35 para 85

A comunidade do bairro Âncora, em Rio das Ostras, está prestes a re­ceber novas unidades de assis­tência. Serão inauguradas nes­ta próxima semana a Casa da Criança 1, no dia nove, às 9h, e o Centro de Referência de As­sistência Social (CRAS Norte), no dia 11, às 9h. Segundo o pre­sidente do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente, José Luiz Porto, tratam-se de novas sedes que estão sendo preparadas para dar melhores condições de atendimento aos assistidos. Os projetos são da Secretaria de Bem-Estar Social de Rio das Ostras (Sembes).

O projeto Casa da Crian­ça visa o desenvolvimento de atividades com crianças de um ano e sete meses até cinco anos de idade. De acordo com Porto, a sede já existia, mas em condições totalmente precá­rias. Além da demanda, houve a necessidade de uma nova es­trutura. Ele diz que a unidade está mais ampla e vai garantir mais conforto para as crianças e tranquilidade aos pais. “O projeto é especificamente vol­tado mais para o bairro. Hoje, temos quatro Casas da Criança, atendendo 320 crianças caren­tes do município. Temos uma em cada bairro para melhorar a questão de locomoção das famílias. Com essas novas de­pendências do Âncora, vamos aumentar o atendimento de 35 para 85 crianças”, informa.

Segundo a coordenadora da Casa da Criança, Mônica Maia, a unidade faz todo um trabalho voltado à vulnerabili­dade social, prevenção de ris­cos, serviço de fortalecimento de vínculos, acolhimento e ex­clusão social. Ela diz que, uma vez a criança inserida no pro­jeto, a família também recebe atendimento. E de acordo com a coordenadora, os maiores problemas são com famílias envolvidas com drogas, de­pendência química com álcool e negligência por parte dessas famílias. “Fazemos um acom­panhamento psicossocial, com uma equipe técnica de assis­tentes sociais e psicólogos, que atendem no Cras e na unidade. A cada 30 dias também são realizadas reuniões com as famílias. Além disso, as crian­ças participam de brincadei­ras, diversos tipos de oficinas, passeios e visitações a pontos turísticos da cidade”, ressalta Mônica, lembrando que existe um critério de inserção no pro­jeto, que ocorre após cadastro, avaliação e visita domiciliar de uma assistente social e esta si­naliza as necessidades da famí­lia. O atendimento é feito nos Cras de abrangência.

Ainda segundo Mônica, quando há caso confirmado de negligência por parte da fa­mília, é feito um relatório, que é encaminhado ao Conselho Tutelar. “Feita a verificação e confirmada a negligência, o Conselho move a rede para estar brigando, comunica ao Creas, que atua quando, geral­mente, já se rompeu o vínculo familiar. Nesse caso, em geral, a criança é encaminhada para o abrigo. Hoje, o abrigo de Rio das Ostras conta com 15 crian­ças”, explica a coordenadora.

O município de Rio das Ostras conta atualmente com quatro Centros de Referência de Assistência Social e uma unidade. De acordo com José Luiz Porto, o caso do Cras é o mesmo da Casa da Criança. Está saindo de uma sede alu­gada para uma sede própria. Ele afirma que em 2013, foram realizados 150 mil atendimen­tos nos Cras de Rio das Ostras. “O Cras é a porta de entrada do usuário, onde ele pode conse­guir vaga para o filho na Casa da Criança e outros projetos, toda uma rede de proteção e assistência. É um trabalho que busca a efetivação dos direitos sociais e melhoria da qualida­de de vida das crianças e suas famílias”, destaca o presidente do Fundo Municipal da Crian­ça e do Adolescente.

A nova sede da Casa da Criança fica na Rua das Dá­lias, nº 73, e o Cras Norte, na rua Perônia, quadra 82, antiga rua 56, no Residencial Praia Âncora.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


1 comentário

Deixe o seu comentário