Macaé News
Cotação
RSS

Festival Municipal de Dança Indígena agita rede municipal

Publicado em 25/04/2018 Editoria: Cultura sem comentários Comente! Imprimir


O Festival contagiou torcidas composta por estudantes, familiares e equipes gestoras

O Festival contagiou torcidas composta por estudantes, familiares e equipes gestoras

O Festival Municipal de Dança Indígena movimentou a rede municipal nesta quarta-feira (25).  A programação, realizada no Teatro Municipal de Macaé,  integrou estudantes da Educação Infantil e Ensino Fundamental. As escolas Polivalente Anísio Teixeira (1° lugar), Olga Benário Prestes, Ancyra Gonçalves Pimentel (2° lugar), Olga Benário Prestes, além das de Educação Infantil Professora Cândida Maria da Silva Vieira e Professora Maria Magdala Agostinho Cipriani marcaram presença no evento. Os participantes tiveram a oportunidade de destacar talentos e apresentar coreografias inéditas dos gêneros e estilos musicais, indígenas brasileiros.

Durante o festival, os participantes foram avaliados por uma banca na área de dança, cultura indígena brasileira e ou latina americana; como o artista Felipe Macedo, a contadora de historias Margarida Barcelos e a coreógrafa Cristine Barreto. A seleção abrangeu quesitos como criatividade, empatia, domínio de coreografia, fidelidade histórico e cultural e interpretação. Os participantes receberam certificados e os três primeiros colocados troféus.

Com o objetivo de incentivar a valorização histórica cultural da população indígena brasileira, nas escolas municipais, o Festival mobilizou estudantes e profissionais de ensino que pesquisaram a respeito da história indígena e ensaiaram as coreografias.

O Festival contagiou torcidas composta por estudantes, familiares e equipes gestoras como a da Escola Municipal Professora Letícia Peçanha de Aguiar (Centro). Entusiasmada, Eliane de Jesus, mãe da aluna, Raylane de Jesus, da Escola Municipal Olga Benário Prestes (São José do Barreto), se admirou com  a organização do evento.

"A programação é muito boa. Parabenizo a escola e os organizadores. Minha filha dançou muito bonito", conta Eliane. Satisfeita com a apresentação da turma do 9º ano, a diretora adjunta Delaine Miranda de Oliveira explica que o festival é importante para destacar a historia e enaltecer a troca de experiências, desafios e possibilidades. "Estamos muito felizes", comentou.

Além disso, a garotada da Educação Infantil fez bonito no palco. Com pouca idade, fantasias e adereços, os alunos das escolas municipais de Educação Infantil Professora Cândida Maria da Silva Vieira (Cajueiros) e Maria Magdala Agostinho Cipriani (Imburo) mostraram talento no palco.

Os alunos Tales Antunes, Ana Flávia Pereira e Everton Gomes fazem parte do grupo da Escola Maria Magdala Cipriani. Acompanhados pela professora Gláucia Vieira, os pequenos cantaram e dançaram ao som da canção pesquisada em sala de aula.

Segundo a superintendente de Educação Integrada, Andrea Martins, o Festival é um instrumento cultural de divulgação de integração dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos. “A programação fomenta o interesse à pesquisa e estudo das origens do Brasil. Além disso, o Festival contribuí com a formação e desenvolvimento do aluno", pontuou.

› FONTE: SECOM


sem comentários

Deixe o seu comentário

Digite as palavras abaixo: