Macaé News
Cotação
RSS

Temer aceita indicação de Cristiane Brasil para o Ministério do Trabalho

Publicado em 04/01/2018 Editoria: Política sem comentários Comente! Imprimir


O presidente Michel Temer aceitou o nome da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), filha do presidente do partido, Roberto Jefferson, para assumir o Ministério do Trabalho. A indicação foi apresentada por Jefferson a Temer na tarde desta quarta-feira (3), no Palácio do Jaburu, após reunião do partido.  A nomeação foi confirmada pelo Planalto. Segundo nota à imprensa, a definição de Temer ocorreu após "indicação oficial feita pelo PTB".

Veja a nota:

"O presidente Michel Temer definiu hoje que a deputada federal Cristiane Brasil será a nova ministra do Trabalho. O presidente recebeu na tarde desta quarta-feira a indicação oficial feita pelo PTB.

Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República"

Indicação

O nome dela surgiu após o impasse provocado com a indicação de Pedro Fernandes, que foi vetado pelo ex-presidente José Sarney sob alegação de que o parlamentar é alinhado ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), inimigo político da família Sarney.

"Eu vim discutir outros nomes, estávamos pensando em três [outros deputados]. Aí roda pra cá, roda pra lá. Então se falou: &39;Roberto, e a Cristiane? Por que não?&39; Aí foi da cabeça do presidente: &39;Ela é uma menina experimentada, foi secretária municipal em vários governos na cidade do Rio de Janeiro&39;. Eu falei: &39;presidente, aí o senhor meu surpreende, vou ter que consultar", afirmou Roberto Jefferson.

Segundo ele, após a consulta e a aceitação, Cristiane Brasil concordou em não disputar as eleições deste ano. "Ela ficará ministra até o final [do governo de Temer]", afirmou. Roberto Jefferson disse ainda que o líder do partido na Câmara, deputado Jovair Arantes (PTB-GO), também concordou com a nomeação e disse que ela tem a "confiança" da bancada.

Durante entrevista a jornalistas em que anunciou o nome da filha para o cargo, Roberto Jefferson, que foi protagonista e o primeiro delator do mensalão há pouco mais de dez anos, se disse emocionado. "É um resgate da imagem, da família. Depois do que aconteceu, mas já passou. Fico satisfeito", afirmou, com a voz embargada.

Veto de Sarney

O mal-estar provocado por Sarney para governo, às vésperas da votação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, acendeu a luz amarela no Planalto. O PTB é um dos partidos da base aliada com maior fidelidade nas votações de interesse do governo.

Na semana passada, após Ronaldo Nogueira deixar o Ministério do Trabalho sob alegação de se dedicar à campanha de reeleição para a Câmara, Pedro Fernandes divulgou o convite e chegou a afirmar que a cerimônia de posse do cargo ocorreria nesta quinta-feira (4). Na terça-feira (2), porém, o ex-futuro ministro disse a situação causaria "embaraço" entre Temer e Sarney, o que justificou o recuo do governo.

› FONTE: JB


sem comentários

Deixe o seu comentário