Macaé News
Cotação
RSS

Encontro técnico aborda combate à tuberculose

Publicado em 23/11/2017 Editoria: Saúde sem comentários Comente! Imprimir


Com o objetivo de traçar um perfil epidemiológico de Macaé, em relação a doenças prevalentes, causas de óbitos e indicadores de natalidade, a Secretaria de Saúde realizou, na quarta-feira (22), no auditório do Centro Administrativo Luiz Osório (Cealo), um encontro técnico com enfermeiros da atenção primária. Na ocasião, agentes do Programa Municipal de Tuberculose mostraram como a atenção primária é fundamental no combate da doença.

De acordo com o assistente social e com a enfermeira do Programa Municipal de Tuberculose, Rodrigo Silva e Tatiana Avelar, no município há 84 casos da doença e 39 investigações. Os bairros que mais apresentam pacientes infectados são Lagomar, Aeroporto e Malvinas.

Os sintomas mais comuns da tuberculose incluem febre; tosse por mais de três semanas, com ou sem catarro; perda de peso, lenta e progressiva; falta de apetite; suor noturno; cansaço; febre, além de tosse com sangue. Tatiana explicou que, em caso de suspeita, o paciente deve procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua residência. Caso seja diagnosticada a doença, o paciente será encaminhado para o Programa Municipal de Tuberculose, que prevê tratamento de, no mínimo, seis meses.

"O tratamento não deve ser abandonado, mesmo com o desaparecimento dos sintomas. É bom lembrar que compartilhar talheres, copos, toalhas e banheiros, além de beijos e abraços, não transmite tuberculose. A doença é transmitida pelo ar", ressaltou o assistente social.

De acordo com a coordenadora de Enfermagem da Atenção Básica, Carla Corga, estratégias serão adicionadas para aprimorar as ações da atenção primária no município em 2018. "Nossa meta é compartilhar informações, visando ao trabalho continuado e acompanhamento da assistência. A atenção primária consegue resolver o problema, podendo evitar a proliferação de determinadas doenças", pontuou Carla. 

A coordenadora de Vigilância em Saúde, Ana Paula Dal-cin, alertou que infarto é a primeira causa de óbito em Macaé nos últimos dez anos, muitos casos devido ao estresse. "A saúde transcende a ausência de doença, ela engloba diversas questões, como trabalho, espiritualidade, lazer, saúde mental, família, ambiente, educação, entre outros, por isso, a atenção primária deve promover saúde", pontuou a coordenadora. 

› FONTE: Ascom


sem comentários

Deixe o seu comentário