Macaé News
Cotação
RSS

Colégio Botafogo promove Campeonato de Xadrez no dia 11

Publicado em 31/10/2017 Editoria: Educação sem comentários Comente! Imprimir


A rede segue a lei municipal 2.891/07, que institui a prática de xadrez nas escolas em prol do desenvolvimento integral do aluno

A rede segue a lei municipal 2.891/07, que institui a prática de xadrez nas escolas em prol do desenvolvimento integral do aluno

Estarão abertas até o dia 10 de novembro as inscrições para o terceiro Campeonato de Xadrez Rápido, no Colégio Municipal Botafogo. O cadastro pode ser feito pelo endereço eletrônico colegiobotafogomacae@gmail.com. Podem se inscrever alunos matriculados no Ensino Fundamental (primeiro ao nono ano) e Médio das redes pública e privada. O campeonato vai acontecer no dia 11 de novembro, das 8h às 12h, no próprio colégio. Ao todo são oferecidas 80 vagas.

A programação seguirá o sistema de emparceiramento suíço com seis rodadas e vai abranger as categorias sub-9 (9 anos), sub-11 (11 e 12 anos) e sub-13 (13 e 14 anos). Os participantes prometem usar de muita imaginação, memorização, planejamento e paciência. A premiação será de medalha para o melhor participante na categoria feminino, troféu para o melhor enxadrista do Colégio Municipal Botafogo e medalhas para os 50 primeiros colocados. A programação contará com árbitros do Clube de Xadrez de Macaé.

O xadrez conta com dois jogadores, que conduzem cada um as peças de cores diferentes colocadas sobre um tabuleiro de 64 casas. A proposta é ampliar a prática nas escolas para que posteriormente sejam promovidos torneios nas unidades municipais. O xadrez  contribui no desenvolvimento cognitivo, psicossocial e de planejamento. De acordo com o secretário de Educação, Guto Garcia, a prática aumenta a concentração dos estudantes em disciplinas como Matemática e Língua Portuguesa.

Recentemente, estudantes jogadores de xadrez das escolas Botafogo e Amil Tanos receberam medalhas no Campeonato de Xadrez no Colégio Castelo.

Xadrez ajuda no rendimento escolar
A professora da sala de recursos, Graice Yara de Boni, lembra com orgulho da participação dos alunos. O trabalho consiste em associar planos cartesianos ao tabuleiro de xadrez. "É maravilhoso ver os resultados positivos da prática", comenta a professora Graice.

Ela lembra que a prática foi iniciada com os alunos da Educação Especial, mas o xadrez se tornou um exercício totalmente inclusivo. "Cerca de 300 alunos se envolvem nas aulas de xadrez. Registramos melhoria no rendimento escolar. Os participantes também conseguem superar as dificuldades por meio das competições. É uma grande vitória para a escola ver os alunos se destacando dentro da comunidade escolar”, lembra.  

Colecionador de medalhas, o aluno do Colégio Municipal Botafogo, Gabriel Abreu, de 14 anos, se prepara para o Torneio. "Amo xadrez. Fiquei muito mais concentrado", contou o estudante do sétimo ano do Colégio Municipal. Outra vencedora é Pâmela da Silva Mota, que estuda na Escola Municipal Amil Tanos. "Fiquei muito mais concentrada depois que entrei nas aulas de xadrez. Gosto muito", conta.

Outra escola que também adere a prática é a Escola Municipal Interagir. Cerca de 100 alunos participam da modalidade, que acontece junto às aulas de Educação Física conduzidas pelo professor Luiz Carlos Machado. Entre os alunos participantes estão João Pedro Teodoro, Joana de Jesus e Tainá de Castro. "Amamos xadrez. Jogamos na escola e em casa. As aulas são muito legais", pontuaram.

A rede segue a lei municipal 2.891/07, que institui a prática de xadrez nas escolas em prol do desenvolvimento integral do aluno. Um dos destaques é o xadrez lúdico, indicado a crianças até 10 anos. Esta abordagem enfatiza o xadrez para o lazer e ajuda a criança a se adaptar aos compromissos da escola. Já o xadrez pedagógico é voltado para crianças acima de 10 anos e desenvolve habilidades que os estudantes têm dificuldades.

› FONTE: Ascom


sem comentários

Deixe o seu comentário

Digite as palavras abaixo: