Macaé News
Cotação
RSS

Prevenção: Saúde desenvolve ações para detectar casos de sífilis

Publicado em 06/09/2017 Editoria: Saúde sem comentários Comente! Imprimir


Com o objetivo de detectar a sífilis precocemente e encaminhar para tratamento adequado, a Secretaria de Saúde criou, em 2016, um Plano de Enfrentamento da Sífilis, em que vários dispositivos da saúde desenvolvem ações permanentes para qualificação do trabalho realizado na rede municipal.

De acordo com a coordenadora de Vigilância em Saúde, Ana Paula Dal-cin, a doença é considerada um problema importante de saúde pública no Brasil. "Entendemos que o melhor método seja a prevenção por meio de proteção nas relações sexuais, mas, com a intensificação do trabalho de vigilância, percebemos o aumento nas notificações. A preocupação são os casos de sífilis congênita, transmitida de mãe para filho, que podem acarretar a morte do bebê ou deixar sequelas como surdez, problemas neurológicos e má formação óssea", explica.

Em 2015, foram 125 casos notificados; em 2016, 258 e de janeiro a julho deste ano, 48 casos em gestantes, 22 de sífilis congênita e 149 sífilis adquirida (não inclui gestante e bebê). Ana Paula acrescenta que há três níveis de sífilis, primário, secundário e terciário, quando a doença está no estágio mais avançado. Se não tratada, a sífilis afeta órgãos como o coração, ossos e sistema nervoso central.

A coordenadora acrescenta que a sífilis congênita é uma grande preocupação, por isso, a importância de iniciar o pré-natal o quanto antes. "O teste está disponível para toda sociedade, inclusive o teste rápido, em que a pessoa sabe o resultado no mesmo dia. O exame é gratuito e a primeira opção de tratamento é com penicilina benzatina (injetável), tanto para gestante, quanto para o seu companheiro. Por se tratar de uma doença sexualmente transmissível, também é fundamental o uso de preservativo", frisa, lembrando que as mulheres que estão planejando engravidar devem fazer o teste antes para evitar o risco da transmissão ao bebê.

De acordo com o Ministério da Saúde, a penicilina benzatina é um medicamento seguro e eficaz no combate a sífilis e reconhecido na Assembleia Mundial da Saúde como essencial para controle da transmissão vertical de sífilis.

Ana Paula explica, ainda, que os bebês nascidos de mulheres com diagnóstico positivo de sífilis são acompanhados até os três anos de vida. "Cinquenta por cento dos bebês são assintomáticos no nascimento, por isso a necessidade de acompanhamento", observa.

O teste para sífilis pode ser solicitado por qualquer Unidade Básica de Saúde e da Saúde da Família. Já o teste rápido é feito às terças, quartas e quintas-feiras, das 8h às 17h, no Programa DST/Aids, que funciona no Centro de Saúde Dr. Jorge Caldas, localizado na rua Tenente Coronel Amado S/Nº, Centro.

› FONTE: SECOM


sem comentários

Deixe o seu comentário

Digite as palavras abaixo: