Macaé News
Cotação
RSS

Forças Armadas ocupam as ruas do Rio em megaoperação

Publicado em 05/08/2017 Editoria: Segurança sem comentários Comente! Imprimir


Tropas das Forças Armadas tomaram as ruas do Rio de Janeiro ainda na madrugada deste sábado (5) em megaoperação de combate ao roubo de cargas na capital fluminense. A ofensiva envolve equipes das polícias Civil e Militar do estado, da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal. Batizada de Operação Onerat, a ação representa a segunda fase da operação federal de segurança no Rio de Janeiro.

São cumpridos um total de 40 mandados de prisão e 15 de busca e apreensão em bairros e comunidades das zonas norte e oeste do Rio. Os agentes de segurança atuam nos Complexos do Lins e Camarista Méier; no Morro de São João, no Engenho Novo (zona norte); e no Morro de Covanca, em Jacarepaguá (zona oeste). De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança (Seseg), as tropas das Forças Armadas são responsáveis pelo cerco em algumas dessas regiões.

Até o momento não foi divulgado balanço do número de presos e de materiais apreendidos. De acordo com informações da GloboNews , ao menos um dos principais alvos da Operação Onerat, identificado como Fernando de Almeida Oliveira, foi preso nesta manhã.

Houve registros de tiroteios em diversas regiões da capital fluminense durante a madrugada, e ao menos um jovem de 19 anos morreu em decorrência dos confrontos entre criminosos e agentes de segurança.
Segundo nota da Seseg, "algumas ruas estão interditadas e os espaços aéreos estão controlados para aeronaves civis nas áreas sobrepostas aos setores de atuação das Forças Armadas". Não há interferência nas operações dos aeroportos.

A Operação Onerat foi deflagrada horas após o ministro da Defesa, Raul Jungmann, anunciar que havia ofensivas programadas para combater a violência no Rio de Janeiro.
Jungmann declarou nessa sexta-feira (4) que foram deslocados agentes da Força Nacional e da Polícia Rodoviária Federal para reforçar o patrulhamento de áreas do Arco Metropolitano, na Baixada Fluminense, onde há registros de roubos de carga.

Mais informações a qualquer momento

› FONTE: US


sem comentários

Deixe o seu comentário

Digite as palavras abaixo: