Macaé News
Cotação
RSS

Combate ao Aedes prossegue no município

Publicado em 04/08/2017 Editoria: Saúde sem comentários Comente! Imprimir


O combate acontece durante o ano todo no município, por meio  de diversos tipos de equipamentos

O combate acontece durante o ano todo no município, por meio de diversos tipos de equipamentos

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) realiza diversas atividades no município para combater vetores de doenças, como o Aedes aegypti, responsável pela transmissão da dengue, chikungunya, zika e febre amarela urbana. Além das visitas domiciliares, há também o trabalho perifocal mecânico e manual, e utilização de carro fumacê. Na próxima semana, entre outros trabalhos, agentes de endemias estarão atuando na Lagoa, de segunda a quarta-feira, das 8h às 13h, com mutirão de combate ao Aedes.

Os agentes de endemias ainda são responsáveis pelo controle do pernilongo (Culex), ação em que é utilizado larvicida biológico disseminado nos canais da cidade. Nesta semana, a ação aconteceu no canal do bairro Aroeira, com aplicação de larvicida biológico nas águas do canal e inseticida com bomba costal nas margens. O procedimento acontece quinzenalmente.

O combate acontece durante o ano todo no município, por meio  de diversos tipos de equipamentos, destacando os que são utilizados na aplicação de inseticidas, como  os costais motorizados, o nebulizador portátil e o nebulizador pesado. Em conjunto, o Centro de Controle utiliza os nebulizadores TN 01 e TN 100 (Fumacê) como forma complementar de combate.

De acordo com informações do Centro de Controle de Zoonoses, o uso indiscriminado do fumacê pode causar danos ao meio ambiente, com a morte de insetos polinizadores, como abelhas, borboletas e predadores naturais. "O fumacê tem eficácia limitada, pois o veneno elimina somente os mosquitos adultos, não atingindo os ovos e as larvas. O inseticida atinge a população de insetos em sua totalidade, podendo provocar desequilíbrio do ecossistema, afastando assim os pássaros por um bom período e, principalmente, pode tornar a população de Aedes aegypti resistente à ação do inseticida, tornando-o menos eficaz em caso de epidemia de Dengue", explicam os especialistas.

O CCZ também destaca a importância da população no combate aos vetores, como manter os quintais livres de qualquer objeto capaz de armazenamento; vedar caixas d’água e outros depósitos; tampar fossas e caixas de passagem, manter as piscinas tratadas; colocar telas nas janelas e portas para evitar a entrada dos insetos; descartar lixo de forma adequada e nos horários corretos; entre outras ações simples, porém, de grande importância. O próximo Levantamento Rápido de Índice para Aedes aegypti (LIRA) será executado no último quadrimestre de 2017, seguindo o cronograma do Ministério da Saúde.

Mais informações, solicitações de visitas ou dúvidas, o cidadão pode entrar em contato com o CCZ, pelo telefone: 0800-0226461 ou pelo email: cczmacae@yahoo.com.br. 

› FONTE: SECOM


sem comentários

Deixe o seu comentário

Digite as palavras abaixo: