Macaé News
Cotação
RSS

Reservas do Patrimônio Natural preservam natureza macaense

Publicado em 16/06/2017 Editoria: Meio Ambiente sem comentários Comente! Imprimir


Pouca gente sabe, mas Macaé dispõe de cinco Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN). São áreas de florestas em fazendas, cujos proprietários fazem acordo com o Instituto Estadual de Ambiente (Inea) para que, em troca de alguns benefícios, como isenção do Imposto Territorial Rural (ITR), as terras sejam protegidas por lei.

Os objetivos da RPPN são promover a conservação da diversidade biológica, proteger os recursos hídricos, proporcionar o manejo de recursos naturais e o desenvolvimento de pesquisas científicas, realizar atividades de ecoturismo e de manutenção do equilíbrio climático e ecológico.

Nessas áreas não se pode realizar pecuária ou plantações e nem haver desmatamento. Elas são exclusivas para a preservação. Mas no restante da região, o proprietário pode produzir ou criar animais.

Segundo a subsecretária de Ambiente e Sustentabilidade da Prefeitura de Macaé, Lívia Souza, muita gente tem interesse em participar da Área  de Recuperação Permanente e da Reserva Legal. “Estes proprietários podem compor as Reservas Particulares do Patrimônio Natural”, diz.

As RPPNs de Macaé são as seguintes: Fazenda Barra do Sana, com 163 hectares (um hectare equivale a dez mil metros quadrados). A fauna e a flora de lá são típicas da Mata Atlântica.

A RPPN Mario e Alba Corral, que se localiza em Glicério, na qual estudantes são recebidos, tem nove hectares. Possui uma casa de farinha em que produtores de aipim da região fazem o alimento.

A terceira Reserva Particular do Patrimônio Natural é a da Ponte do Baião, que fica na Bicuda e tem 248 hectares, subdividida em quatro fragmentos, é um elo entre as Reservas Biológicas (ReBio) da União e Poço das Antas.

No distrito do Frade situa-se a RPPN Fazenda Santo Antonio do Bom Jardim. Ela tem 452 hectares, em suas dependências há onças pardas e  jaguatiricas, além de ser corredor ecológico para os macacos muriqui. Isso porque funciona como uma ponte entre os parques estaduais do Desengano (Santa Maria Madalena) e Três Picos (Cachoeiras de Macacu).

A quinta RPPN também fica no distrito do Sana, com 32 hectares, chama-se Shangrilá, sendo próxima do Pico do Peito do Pombo. Outras vantagens dos proprietários de terras são a possibilidade de efetuação de projetos, devido à maior pontuação e participação em editais, além da isenção do ITR.

› FONTE: SECOM


sem comentários

Deixe o seu comentário

Digite as palavras abaixo: